LENTE XF

LENTE FUJINON XF18-135mmF3.5-5.6 R LM OIS WRNova

 

Andrew Hall

Biografia do fotógrafo

Com cerca de 25 anos de experiência como fotógrafo profissional, Andrew desfrutou de uma carreira premiada em uma grande diversidade de gêneros fotográficos, do mundo da alta velocidade do Motorsport até os retratos de paisagens especializados. Com base em Sydney, Austrália, Andrew tem a sorte de viajar pelo mundo, satisfazendo sua paixão pela fotografia e sempre está disposto a utilizar as tecnologias mais recentes para capturar imagens em situações, que antes estavam fora do alcance.

Depoimento do fotógrafo

Fotografei a corrida de carros esportes de 24 horas de Le Mans, na França, nos últimos 14 anos. Esta corrida é lendária e este ano ela está em sua 82a edição. 56 equipes, correndo durante vinte quatro horas, enfrentando desafios meteorológicos, fadiga e problemas mecânicos. Para a corrida deste ano, eu tinha o corpo de uma XT-1 para usar juntamente com minha Xpro-1 e vi a XF18-135 como a lente perfeita para capturar diversas imagens de cenas dos boxes com a grande angular até a ação nas pistas com a telefoto.

A XF18-135 produz uma qualidade de imagem inigualável, que eu espero ao usar a lente da série XF, com a vantagem adicional de uma grande angular e telefoto em apenas uma lente. A XF18-135 é leve e compacta e o O.I.S. é de primeira qualidade e me permite fotografar em condições de pouca luz e ainda capturar imagens nítidas e límpidas em velocidades lentas do obturador. A fotografia de Motorsport está a mercê dos elementos, sol escaldante, vento, chuva e poeira. Vivi todas estas condições na corrida de Le Mans este ano e os recursos resistentes às condições climáticas da lente me permitiram fotografar com confiança em todas as situações climáticas, sabendo que a lente e o corpo da minha XT-1 continuariam a proporcionar o desempenho esperado.

Trabalhos do fotógrafo

[Fotografia] Amostra de imagens

O piloto aguardando para sair para uma sessão de qualificação, sua mente visualizando a primeira volta. Na condição de pouca luz da garagem, o O.I.S na XF18-135 me garantiu que era possível fotografar com confiança em velocidades mais lentas do obturador e o alcance do zoom me permitiu compor a foto, de acordo com meu desejo, sem ter que me mover muito em volta da garagem e ficar no caminho dos mecânicos durante seu trabalho.

[Fotografia] Amostra de imagens

Este canto do circuito de Le Mans é um dos meus favoritos, à medida que você se aproxima dos carros em velocidade. É um canto difícil de fotografar, já que não é possível ver os carros vindo deste ponto de vista e eles aparecem no visor rapidamente. A XF18-135 estava acoplada a uma XT-1 com o modo AF contínuo, e teve um desempenho brilhante!
O alcance do zoom me garantiu que era possível reajustar o disparo para a foto, se o piloto pegasse uma pista diferente pelo canto, ou cometesse um erro, terminando na caixa de brita!

[Fotografia] Amostra de imagens

O momento do abastecimento é sempre tenso nos boxes. Existe sempre o risco de que o combustível derrame nos freios ou cano de descarga superquente e provoque um incêndio. Gostei que a traseira desta belíssima Ferrari branca estivesse coberta de manchas de óleo e sujeira da pista, um testamento da natureza cansativa desta corrida. A grande angular da XF18-135 permitiu a aproximação da ação dos boxes e capturar os mecânicos no trabalho.

[Fotografia] Amostra de imagens

Esta equipe fez história em Le Mans este ano com Matt McMurry, que se tornou o piloto mais jovem a competir nas 24 Horas de Le Mans com apenas 16 anos de idade! Consegui usar a extremidade da telefoto da XF18-135 para criar um bom efeito de isolar o carro nos boxes na luz do amanhecer.

[Fotografia] Amostra de imagens

De volta ao meu canto favorito novamente! Este carro realmente me atraiu, já que você não vê uma Ferrari verde limão com frequência! Ferraris vermelhas são comuns, amarelas, algumas vezes, mas nunca nesta cor!
A Ferrari podia ter uma cor estranha, mas o doce ruído da Ferrari era o mesmo! A XF18-135 foi magnífica ao capturar a verdadeira cor e vibração deste carro de corrida exclusivo e o modo de AF contínuo da XT-1 não perdeu um segundo.

[Fotografia] Amostra de imagens

Os mecânicos, parecendo soldados do filme Star Wars em vermelho e preto, fizeram os ajustes de último minuto para o carro de corrida Rebellion R1, antes dele tomar seu caminho. Este carro foi uma das melhores fotografias, com seu esquema de cores impressionante e belo design. Mais uma vez, a grande angular da XF18-135 garantiu que eu conseguisse me aproximar da ação e ainda incluísse todos os elementos que eu precisava para transmitir a história.

 

Masaaki Aihara

Biografia do fotógrafo

Nascido em Tóquio em 1958. Graduado pelo Departamento de Jornalismo (jornal/mídia impressa) da Nihon University, com um grau de bacharel em jornalismo. Como um passo para atingir o seu objetivo de participar no Rali Paris-Dakar, ele fez sua primeira viagem através do Outback australiano em uma motocicleta e, em vez disso, descobriu uma paixão pelo continente australiano. Atualmente, Aihara é fotógrafo freelance e também um ativista da organização "Amigo da Tasmânia" (embaixador da boa vontade). Os trabalhos deste fotógrafo renomado foram exibidos na Austrália, Europa e pela Ásia.

Depoimento do fotógrafo

Escolhi a XF18-135 mm por dois motivos principais. Um deles é criar trabalhos como histórias de documentários fotográficos. A X18-135 mm abrange praticamente todas as faixas de disparo normalmente esperadas, permitindo eliminar a perda de tempo e pressão associadas com a troca das lentes, para que seja possível manter um fluxo natural e homogêneo dos processos de disparo. O melhor momento pode chegar em uma hora inesperada e pode durar apenas alguns segundos. Se você estiver trocando a lente durante esse momento, será uma perda de tempo irreparável.

O outro motivo para selecionar a XF18-135 mm é sua estrutura resistente às condições meteorológicas. O principal campo deste projeto foi a Tasmânia, conhecida por sua floresta primitiva e patrimônio mundial, localizada em uma zona de tempestades da Antártica. O clima é muito instável aqui, que é descrito como "quatro estações em um dia". Isto significa, por sua vez, que podemos observar as mudanças dinâmicas e delicadas da natureza. Para fazer isso, podemos ter que usar nossas câmeras em condições climáticas consideravelmente severas. Mas, eu desejo explorar oportunidades de fotografia e capturar os melhores momentos, mesmo sacrificando meu equipamento.

As câmeras e lentes devem ser verdadeiras "armas", e não apenas ferramentas de passatempo para fotógrafos que buscam a luz, as sombras e o tempo como "atiradores profissionais" para capturar uma luz que nunca será recuperada novamente. É por isso que escolhi a X-T1 e XF18-135 mm, que são capazes de aguentar as condições climáticas mais severas, ao mesmo tempo que proporcionam uma reprodução excepcional da cor, estando entre os equipamentos de mais alto nível do mundo. Agora sei que minha escolha estava certa.

Antes de utilizar a XF18-135 mm, eu realmente tive uma impressão muito negativa das lentes versáteis, de minha experiência de usar um modelo de outro fabricante. Embora seu amplo alcance de disparo fosse conveniente, eu não achei que era qualificável para criar trabalhos fotográficos. Entretanto, este sentimento negativo se esvaneceu imediatamente depois que tirei a primeira fotografia com a XF18-135 mm na sala de espera no Aeroporto de Sydney. Ao mesmo tempo, fiquei impressionado com a tecnologia sofisticada dos engenheiros da Fujinon.
O que me impressionou mais neste projeto foi que os processos de disparo de fotografias continuaram sem problemas, de maneira ritmada. Isso significa que posso tirar fotografias naturalmente como se estivesse respirando o ar, por não ter que trocar as lentes, o que poderia interromper o ritmo das fotografias.

E acima de tudo, a XF18-135 mm e a X-T1 me permitiram tirar fotografias das florestas da Tasmânia sob condições climáticas severas, com a chuva caindo forte sobre a câmera. Protegida por seu desempenho perfeito à prova de condições climáticas, consegui me concentrar no mundo através do visor e no movimento da luz e das nuvens. Fiquei tão profundamente absorvido na criação dos trabalhos que, algumas vezes, me esqueci da existência da câmera e da lente. A combinação da XF18-135 mm e X-T1 colocaram o fotógrafo em um ritmo positivo para tirar fotografias, uma após a outra, e se concentrar na criação de trabalhos de alto nível. Realmente senti que elas poderiam se tornar uma das combinações mais perfeitas na hora de tirar fotografias da Terra.

- Fotografia em cooperação com: QANTAS Airways; Turismo da Tasmânia

Trabalhos do fotógrafo

[Fotografia] Amostra de imagens

Vizinhança de Wisemans Ferry, subúrbios de Sydney, Austrália
O Sr. Backer administra uma fazenda nos subúrbios de Sydney. Ele começa o dia com o nascer do sol, quando sai da casa principal para dar uma olhada em sua vasta fazenda. Usando um chapéu australiano, ele monta em sua moto 4WD e segue pela estrada empoeirada em direção à floresta. Minha lente continuou a focar com precisão o farol traseiro da moto em movimento, graças à sua maravilhosa função de AF e amplo alcance do zoom. A ser exatamente um alvo "travado", o objeto não poderia escapar do alcance do disparo da XF18-135 mm, o que me permitiu capturar um momento da manhã do Sr. Blacker com um equilíbrio sutil entre a estrada esburacada, a poeira de areia e a motocicleta.

[Fotografia] Amostra de imagens

Sydney, Austrália
A experiência da "Escalada da Harbor Bridge" é um dos passeios turísticos mais atraentes de Sydney. Tentei tirar fotografias da ponte e das pessoas que a escalavam de uma torre ainda mais alta que a ponte. Ao colocar as pessoas na periferia direita, como uma "marca" para a fotografia, tentei capturar o sentimento massivo e a estrutura geométrica da construção e viga mestra da ponte. O que eu mais queria retratar era a textura do aço. Utilizando o modo Provia com a menor exposição possível, pude traduzir com sucesso este sentimento massivo das armações de aço para a fotografia.
O amplo alcance do zoom de minha lente me permite capturar vistas do mundo que quero retratar, especialmente quando a posição de disparo da foto é restrita, aliviando assim o fotógrafo do dilema de enquadramento. Fiquei tão animado que tirei cerca de 100 fotografias neste momento.

[Fotografia] Amostra de imagens

Sydney, Austrália
A luz externa caindo sobre os edifícios proporciona uma luz e sombra muito fotogênica e ainda torna os tons de rosa e azul do guarda-chuva japonês mais vivos, se destacando no tom monótono.
Existia apenas uma única posição onde eu poderia tirar as fotografias à vontade, em um degrau no meio da escadaria no interior do edifício. Para tornar as coisas ainda mais desafiadoras, o equilíbrio entre a luz, a sombra e a cor era muito delicado e mudava constantemente. Por causa disso, tive que determinar o enquadramento e o foco para pressionar o obturador o mais rápido possível. A XF18-135 mm capturou um enquadramento firme e o estado mais desejado da luz no sensor, exatamente da mesma maneira que fotografei em minha mente --- foi uma interpretação da minha fotografia mental em vez de uma simples imagem fotográfica.

[Fotografia] Amostra de imagens

Hobart, Estado da Tasmânia, Austrália
Acordei com a luz da manhã caindo em minhas pálpebras. A luz do sol de vermelho profundo estava brilhando na área ao meu redor. Arrastei-me para fora do saco de dormir, fiquei de pé e agarrei a X-T1 e a XF18-135 mm que estavam no meu travesseiro. Não tinha tempo para armar o tripé ou selecionar uma lente que tivesse o ângulo de visão mais apropriado. Esta cor e a luz poderiam desaparecer rapidamente, possivelmente em apenas alguns segundos.
No exato momento quando olhei através do visor, minha lente me permitiu determinar o enquadramento instantaneamente. Além disso, a função de estabilização de imagem de 5 paradas (O.I.S.) me ajudou a capturar o melhor momento em uma fotografia sem desfoque e bem nítida, mesmo para um fotógrafo que tinha acabado de acordar e ainda estava cansado do voo do dia anterior.

[Fotografia] Amostra de imagens

Mount Field National Park, Estado da Tasmânia, Austrália
Este Parque Nacional é conhecido por seu clima chuvoso. Além disso, neste dia, o tempo estava ruim, com chuva, granizo e neve, mas, eu pude tirar fotos com segurança durante 2 horas. Só tive que limpar a câmera e a lente diversas vezes, usando uma toalha.
Outro desafio foi que, do ponto de vista de conservação da natureza, a liberdade de escolha da posição de disparo da fotografia é limitada aqui, porque não podemos andar pelo musgo nativo em crescimento, chamado de planta de assentamento, que é um recurso natural importante da Tasmânia. Além disso, bastava apenas uma pequena diferença no ângulo ou no ângulo de visão para afetar a qualidade do trabalho de maneira significativa.
Mesmo em tal condição, a XF18-135 mm me deixou tirar várias fotografias de maneira eficiente, em um curto período de tempo, o que me permitiu concentrar na criação de imagens, sem ter que me preocupar com a chuva. Nunca fiquei tão agradecido neste momento, pela conveniência e alegria de conseguir me concentrar no enquadramento. Senti verdadeiramente que a XF18-135 mm é a melhor escolha, especialmente em condições difíceis.

[Fotografia] Amostra de imagens

Sydney, Austrália CBD
Quando o Sr. Blacker estava quase acabando de supervisionar sua fazenda, seu amado cão da raça Dálmata veio me oferecer sua saudação matinal. Nessa hora, eu estava parado com o sol às minhas costas, mas instantaneamente me virei para o lado oposto e configurei a simulação de filme da X-T1 para o modo R monocromático, encontrei a posição rapidamente e segurei a câmera, e na mesma hora executei o enquadramento e o foco. No período mais curto possível, tive que me mover para a posição de disparo e tirar a fotografia com o enquadramento apropriado. Neste sentido, a fotografia é similar ao futebol ou hóquei no gelo.
Observação:
Quando mostrei esta foto, depois de tirá-la, ele me disse: Obrigado! Em breve, terei que partir desta fazenda. "Esta foi a última foto das minhas memórias."

[Fotografia] Amostra de imagens

Sydney, Austrália CBD
Um dos meus maiores prazeres na fotografia de rua é separar a parte mais bonita dos edifícios. Esta foto foi produzida após tirar dezenas de fotos de teste para determinar o equilíbrio, posição e proporção ideais para a adequação conjunta com a coluna principal e coluna vermelha à direita, como uma marcação. Almejei particularmente a retratação da beleza da linha vertical ao utilizar a XF18-135 mm. Uma mulher loira ficou parada no local, de saltos altos e inclinada em direção à coluna iluminada. Ela era um objeto agradável da foto para ilustrar o tamanho do edifício, mas sua posição estava muito inclinada para a esquerda da posição desejada. Ela parecia estar aguardando o sinal de tráfego fechar. Logo que o sinal de pedestres passou de vermelho para verde, ela deu 3 passos à frente — "Bingo!!"

 

Olivier Polet

Biografia do fotógrafo

Fotógrafo profissional desde 1990, comecei a trabalhar como fotógrafo de Imprensa e tenho colaborado ao longo dos últimos 20 anos com várias agências de fotografias importantes, como a Sipa em Paris (1995-2005), Action Press na Alemanha, Corbis... Tive a oportunidade de criar a minha própria empresa e dedicar meu tempo de fotógrafo em torno da família real belga. Fui fotógrafo Real Oficial por cerca de 15 anos e fiz diferentes livros e exposições em torno deste tema específico. Como fotógrafo atualmente trabalho em um projeto de longo prazo, seguindo o rastro de diamantes em todo o mundo, e colocando o último toque em projetos de livros com a família real Belga. Sou autor de vários livros sobre temas tão diversos como as Estufas de Laeken, a Habitação Social em Bruxelas, o Rei Alberto e a Rainha Paola, a celebração de anos de casamento10 de Philippe e Mathilde e uma homenagem aos assistentes sociais de Bruxelas. Além disso, trabalho em conjunto com a agência de imprensa Belga: Reporters. Isso me proporciona a chance de promover meu negócio no exterior.

Sobre este projeto

Eu estava muito animado para testar essa lente 18-135 mm e fui para o Congo com ela, usando-a para fotografar para uma ONG (Ação Damien), cenas da vida, escola, aldeias, pessoas com deficiências. Preciso manter certa distância para fotografar em harmonia e essa lente foi útil.

Depoimento do fotógrafo

A primeira impressão quando eu tive a lente na minha mão foi muito leve, mas construída solidamente. Eu estava animado para colocá-la na minha nova X-T1 e o emparelhamento foi perfeito. Não queria levá-la para fora se a teleobjetiva fosse um pouco difícil para mover, mas sua mão a manipula facilmente. O AF é muito rápido e posso usá-lo durante a estação chuvosa, também.

Trabalhos do fotógrafo

[Fotografia] Amostra de imagens

Este senhor tem lepra, eu estava muito impressionado com a sua consideração intensa, com esta expressão profunda. Este fundo azul com esta camiseta vermelha foi perfeito para fazer um belo retrato.

[Fotografia] Amostra de imagens

No Congo existem milhares de pequenas oficinas. Estamos em uma pequena fábrica fazendo mobílias de madeira. Há pouca luz. Eu queria capturar esta atmosfera.

[Fotografia] Amostra de imagens

As crianças africanas são muito expressivas. Na escola, elas começam o dia com uma camisa branca limpa e no final do dia, eu sempre fico impressionado de ver as crianças saindo da escola com suas camisas sempre tão brancas!

[Fotografia] Amostra de imagens

O segundo plano em azul, as crianças na escola, tão atentas, com uma luz agradável e um zoom perfeito para tirar esta fotografia.

[Fotografia] Amostra de imagens

A África é tão fotogênica, que cada criança é um poema, com uma consideração tão profunda para sua idade.

[Fotografia] Amostra de imagens

Esta aldeia próxima a Kinshasa é habitada por leprosos, eles vivem com toda a sua família e tentam ser autônomos.

Kerry Hendry

Biografia do fotógrafo

Kerry Hendry é fotógrafa de ambientes externos e é apaixonada por fotografia de paisagens, juntamente com comissões de belas artes equestres e aventuras. Suas imagens com cavalos foram amplamente publicadas em mídia nacional e vendidas no mundo inteiro. Amazona entusiasta desde uma tenra idade, Kerry combina suas três principais paixões na vida — os cavalos, a fotografia e as viagens.

"Quando me pediram para testar um protótipo da nova lente XF18-135 mm, fiquei emocionada. Acho que o melhor teste para qualquer kit é usá-lo, por isso, a lente foi testada em várias fotografias de cavalos e paisagens nos últimos meses. Não tenho um laboratório de teste e tenho certeza que a mídia fotográfica no mundo inteiro fornecerá dados de teste, quando a lente for oficialmente lançada. Assim, essa é minha "opinião prática desta pequena beleza!"

Sobre este projeto

Fotografei vários cavalos e escolhi testar a lente em corridas de polo e cavalos, dois dos esportes equestres mais rápidos. De manhã cedo, no alto de uma montanha com cavalos de corrida ou sob a intensa pressão do campo de polo — estes foram os locais ideais para testar a nova lente em ação.

Ambos os esportes são movidos a adrenalina e emocionantes de assistir — perfeitos para colocar o foco e o OIS em seus passos. Eu também testei uma combinação dos modos CH (disparo de alta velocidade) e de disparo de imagem única, juntamente com o foco automático simples e contínuo, para testar todos os aspectos do desempenho da lente (e da câmera!) em objetos em alta velocidade.

Além disso, utilizei a lente para fotografar paisagens, e até mesmo utilizei filtros de densidade neutra de 10 paradas para diminuir a velocidade das coisas até a exposição de 15 segundo. Uma lente como essa precisa ser apropriada para uma ampla diversidade de objetos — desse modo, ela foi bem utilizada!

Depoimento do fotógrafo

Para mim, o alcance focal da XF18-35 mm é maravilhoso — certamente, essa será uma ótima lente para o uso diário e em viagens, devido à sua versatilidade. Para testar a lente, deliberadamente fotografei vários tipos de objetos — de cavalos de alta velocidade até paisagens de longa exposição — para testar todos os aspectos da capacidade e manuseio da lente.

Achei que a qualidade era realmente boa — mesmo nesta amostra de produção antecipada; as imagens são nítidas e as fotografias produzidas, agradáveis. Mesmo com o alcance superútil na distância focal, a lente ainda é compacta e leve — e lida realmente bem com os corpos da X-E2 e X-T1, que estou utilizando atualmente. Sendo a primeira lente "Resistente ao Clima" no escopo da Fuji, ela também é perfeita para ambientes externos e enlameados! Choveu tão forte durante um dos jogos de polo, que todos os corredores saíram do campo para se abrigar da chuva!

A XF18-135 mm é a companheira ideal para fotografias de viagens, sendo perfeita por causa de sua "lente única". Eu certamente a recomendaria para esta finalidade. O OIS pareceu ser bem eficaz na fotografia com a câmera na mão — oferecendo mais liberdade com a velocidade e abertura do obturador. Isso tem sido realmente útil ultimamente, já que algumas fotografias em ambientes externos no Reino Unido foram tiradas com pouca luz e durante tempestades. No geral, é uma lente superversátil, que produz imagens de ótima qualidade, além de ser fácil de manipular. Para mim, o teste final é gastar meu próprio dinheiro e comprar uma para mim.

Eu faria isso? Sim, com certeza! Essa lente é perfeita para o meu caso, o complemento para o kit ideal Fuji para viagens, talvez, juntamente com a 14 mm para paisagens mais amplas.

Trabalhos do fotógrafo

[Fotografia] Amostra de imagens

Nesta imagem, quis capturar a velocidade na qual os cavalos correm e, ao mesmo tempo, mostrar a habilidade incrível dos cavaleiros — a precisão que eles demonstram em alta velocidade é incrível! Nesta foto, um jogador, galopando ao longo do campo, dá uma tacada rápida na bola. Cavalo, cavaleiro e a visão da bola despertam a emoção de assistir este esporte de tirar o fôlego.

[Fotografia] Amostra de imagens

Esta imagem, e a história por trás dela, é uma das minhas favoritas. Me propus a capturar exatamente a visão que queria fotografar. Os cavalos de corrida treinam somente por um período de tempo bem curto a cada manhã, e eu sei que tinha apenas um número limitado de chances de capturar esta fotografia. De fato, eu tinha apenas uma chance. Este foi o último cavalo, em seu último salto. Embora de manhã cedo, o sol já estivesse bem alto em um céu sem nuvens, eu queria capturar a silhueta do cavalo e do cavaleiro. Me aproximei o máximo que pude, me agachei próxima ao local do salto e tirei esta única foto. Amo a maneira como a luz atinge os ombros e a coxa do jóquei e as pernas do cavalo durante apenas um segundo, antes de aterrissarem. Esta imagem já está impressa, enquadrada e na parede do proprietário do cavalo!

[Fotografia] Amostra de imagens

Em contraste com a primeira imagem do jogador de polo sozinho, aqui é possível ver um exemplo clássico da partida com todos os jogadores em ação! Jogadores, cascos e tacos, todos colidindo na batalha para chegar primeiro à bola. Somente jogadores destros são permitidos no jogo de polo, por motivos de segurança, mas, mesmo assim, ainda é uma batalha do mais rápido e mais corajoso, tanto em matéria de cavalo quanto do jogador. A velocidade alta do obturador captura a ação com perfeição, um momento maravilhoso congelado no tempo.

[Fotografia] Amostra de imagens

Esta é a distância máxima que eu pude chegar da ação da corrida, mesmo trabalhando de perto com o treinador do cavalo. Aqui, os cavalos estão a um passo de distância e cruzando diretamente à minha frente. Um teste perfeito da capacidade de foco da lente. Ao fotografar cavalos, o tema principal são as pernas, no lugar certo da fotografia, e amo como o cavalo líder foi fotografado com a perna perfeitamente reta, a pleno galope e só um pouco à frente dos outros. À medida que os cavalos se aproximavam, era fácil ficar distraído pelo som dos cascos se aproximando.

[Fotografia] Amostra de imagens

Depois de toda essa adrenalina de tirar as fotografias com os cavalos, era hora de diminuir um pouco o ritmo — literalmente. Fotografar o cais foi o teste perfeito de foco e nitidez em um objeto bem detalhado. Aqui, a câmera (Fuji X-T1) estava em um tripé e usando uma densidade neutra de 10 paradas LEE Big Stopper, a exposição de 15 segundos foi definida. O foco automático foi preciso. Não há sinais óbvios de distorção e a exposição longa proporcionou um sentimento de placidez serena maravilhosa.

Ben Cherry

Biografia do fotógrafo

Ben é um estudante de 22 anos, recentemente graduado em Zoologia, que combina seu amor pela natureza com a fotografia. Ao focalizar e capturar momentos, Ben tem viajado pelo mundo combinando estas duas paixões para conhecer novas culturas e visitar algumas das maravilhas da natureza, desde a Grande Barreira de Corais, Quedas da Victoria Falls, Montanhas Simian da Etiópia até as florestas tropicais do Bornéu. Ele venceu competições fotográficas na National Geographic e Rotary Foundation, assim como é altamente recomendado na Travel Photographer of the Year (Fotógrafo do Ano de Viagens) e foi um finalista na competição BBC Wildlife Photographer of the Year (Fotógrafo do Ano de Vida Selvagem da BBC).

Facebook- https://www.facebook.com/BenCherryPhotography

Twitter- @Benji_Cherry

Sobre este projeto

As Ilhas Farne são um conjunto de ilhas fora da costa da Northumberland da Inglaterra e é o lar de milhares de pássaros marinhos. Escolhi levar a XF18-135 mm para as Ilhas Farne porque esta lente versátil era perfeita para a ação confusa e rápida, que ocorre durante a época de reprodução. Essa capacidade de alcance com uma única lente, significa que vou passar menos tempo me preocupando com qual lente preciso na câmera e me concentrar mais nas fotografias que quero tirar.

Depoimento do fotógrafo

A XF18-135 mm foi a única lente que realmente precisei durante a visita às ilhas, sua versatilidade cobriu tudo que precisava fotografar durante minha visita. Apesar do grande alcance, a qualidade da imagem se manteve muito bem, o qual é um dos motivos porque gosto tanto do sistema Fujifilm Série X — as lentes são de primeira qualidade. Comparado a outros fotógrafos na ilha, pude me mover livremente, já que estava carregando menos de 4 a 5 kg que os outros com suas lentes de supertelefoto. Combinar todos estes fatores com o OIS excepcional e a vedação à prova de clima, significava que eu não tinha que me preocupar com o céu ocasionalmente nublado e pancadas de chuva fortes.

Trabalhos do fotógrafo

As gaivotas estavam ocupadas trazendo material para seus ninhos nos topos dos penhascos. Eu queria testar as habilidades de rastreamento da lente em condições difíceis. A luz das 4:30 h era dourada e estava incrivelmente baixa, o que significava um cenário difícil para acompanhar um objeto contra essa luz, mas a lente se saiu muito bem e fiquei muito feliz com o resultado. Isso também serviu para testar a refração da lente e os resultados também foram impressionantes, especialmente para um zoom.

[Fotografia] Amostra de imagens

Estas aves vivem em grandes colônias nos penhascos, que atuam como uma forma de proteção — segurança nos números. Com o sol atrás de mim, a luz estava atingindo o penhasco em um ângulo baixo, lançando cores vibrantes que o sistema Fujifilm é tão bom em capturar. A extremidade larga do zoom proporcionou uma perspectiva bem diferente, abrangendo a evasão das nuvens, juntamente com o céu cheio de aves.

[Fotografia] Amostra de imagens

As Ilhas Farne são cobertas com milhares de aves marinhas. É um desafio capturar o alcance total deste espetáculo, como demonstrado por esta fotografia de frente aos penhascos da Inner Farne (Farne interna). Como eu estava em um barco, existiam limitações de quanto eu podia me mover; aqui, a versatilidade do zoom atuou por conta própria, o que me permitiu fazer close-ups destas lindas aves, assim como disparos com a grande angular.

[Fotografia] Amostra de imagens

As andorinhas do Ártico são aves que fazem ninhos no solo e os protegem agressivamente. Felizmente, todos os ninhos estão claramente marcados para impedir danos acidentais, mas isso não impede o instinto agressivo do grupo. A distância focal equivalente a 28 mm foi ideal para fotografar isto, combinado com o foco de acompanhamento muito rápido, isso significou que mesmo que não tivesse olhado através do visor, pude fotografar este comportamento.

[Fotografia] Amostra de imagens

Os céus das Ilhas Farne estão cheios de atividade e o truque é seguir uma ave até ela pousar no solo. As urias, como as aves do mar, somente vêm à terra para procriar. Por isso, aterrissar em uma superfície dura, não é seu melhor atributo, o que cria momentos verdadeiramente engraçados.

[Fotografia] Amostra de imagens

Ao fotografar papagaios-do-mar, é necessário ficar deitado, já que eles são muito pequenos. Ao fazer isso, você consegue uma perspectiva muito melhor. Gosto desta fotografia porque utilizei um monte próximo para criar o primeiro plano fora de foco, mantendo o foco neste papagaio-do-mar divertido, quando ele saiu de sua toca.

[Fotografia] Amostra de imagens

Tivemos sorte suficiente para ver um grupo de golfinhos em nossa viagem de retorno de barco. A grande qualidade desta lente é sua flexibilidade, especialmente quando você é limitado pelo movimento do barco e dos golfinhos. Foi possível enquadrar o Castelo Bamburgh atrás deste grupo de golfinhos.

[Fotografia] Amostra de imagens

As andorinhas do Ártico são belas aves e felizmente esta criatura me permitiu chegar mais perto. A distância de foco máxima desta lente é fantástica, tornando-a uma lente para verdadeiramente todas as finalidades. Amo o contraste de segundo plano fora de foco, agradavelmente suave, em contraste com o detalhe claro da plumagem da andorinha.

David Cleland

Biografia do fotógrafo

David Cleland é fotógrafo de paisagens e reportagens, e vive em Belfast, na Irlanda do Norte.

Ele é mais conhecido por sua fotografia de paisagens e documentários, que já foram destaque em várias exibições fotográficas, incluindo uma exploração da decadência de um moinho de 400 anos evacuado, que recebeu elogios da crítica. David também ensina na área de filme e animação, aplicando as regras da fotografia estática à arte da imagem em movimento.

O trabalho de David foi aceito pela Getty Images e publicado em várias publicações nacionais e usado em diversas capas de livros.

David é o autor de dois eBooks sobre a arte da fotografia, incluindo, o agora famoso eBook "The Long Exposure" (A longa exposição) e escreveu diversas matérias sobre a importância da fotografia na educação.

Sobre este projeto

Para este projeto quis capturar a bela cidade de Belfast em várias condições climáticas. Belfast é uma cidade maravilhosa por sua cultura, arquitetura e história. Há tanta coisa em Belfast que adoro fotografar, mas para este projeto específico, visitei algumas de minhas áreas favoritas. A jornada incluiu o Titanic Studios, onde a série "Game of Thrones" é produzida, Harland e Wolff, o lar do Titanic, quando ele funcionava na Blackford Dolphin, a famosa Universidade da Rainha e, finalmente, o bairro da catedral na chuva. Tal projeto exige a versatilidade do longo alcance oferecida pela lente de 18 a 135 mm, que teve um desempenho perfeito.

Depoimento do fotógrafo

A fotografia para mim é me afastar de tudo e explorar um mundo incrível lá fora. Sempre apreciei a confiabilidade e portabilidade do sistema Fujifilm e a maneira previsível que a lente de 18 a 135 mm oferece em um nível confiável de versatilidade. Ao oferecer um alcance focal fantástico, a lente com vedação à prova de clima oferece o máximo em estabilização de 5 paradas, tornando-a a combinação perfeita para a incrível paisagem externa da Irlanda do Norte. Foi liberador usar a X-T1 e a 18 a 135 mm em Belfast na chuva, sem ter que me preocupar com isso. Combinar esta tecnologia de lente inovadora com a renomada qualidade de imagem da Fujifilm, torna a lente de 18 a 135 mm um prazer de usar.

Trabalhos do fotógrafo

[Fotografia] Amostra de imagens

Amo esta área de Belfast, o lugar de origem do Titanic é atualmente o lar da famosa plataforma de petróleo Blackford Dolphin. É uma vista impressionante, especialmente durante a noite e o tamanho e a escala são simplesmente de tirar o fôlego. Me abaixando para ficar quase ao nível da poça, foquei na criação de uma imagem de espelho horizontal desta famosa cena de Belfast, usando um tempo de exposição longo.

[Fotografia] Amostra de imagens

A Irlanda do Norte está se tornando um dos principais lugares na indústria de filmes, graças ao trabalho da Norther Ireland Screen. O Titanic Studios é atualmente a base da série "The Game of Thrones", mas filmes como "City of Ember" (Cidade das Sombras) também foram produzidos no antigo salão de pintura gigante.

Novamente, com o estúdio refletindo as poças de verão, empreguei uma velocidade baixa do obturador para garantir que o reflexo fosse o mais nítido possível.

[Fotografia] Amostra de imagens

Belfast é uma cidade de cultura rica, o bairro da catedral é o centro de atividades noturnas e diárias; cafés, restaurantes e bares tornam o histórico bairro da catedral de Belfast particularmente especial. Fiquei fascinado pela luz atingindo a passagem do beco escuro e consegui enquadrar a entrada até o centro superior do quadro. Simplesmente adoro ver como a luz ilumina o caminho de paralelepípedos. Para mim, ficou parecendo uma clássica imagem em preto e branco.

[Fotografia] Amostra de imagens

Fico testando o uso de reflexos em minha fotografia, como demonstrado nas duas primeiras imagens. Esta fotografia da Great Victoria Street reúne a paisagem urbana com o caminhante atemporal. O personagem é o foco da fotografia, mas ainda há muito o que olhar na rua e no reflexo.

[Fotografia] Amostra de imagens

A Elmwood Avenue é uma avenida arborizada no coração da área da Universidade de Belfast. Fiquei fascinado pelo sol de verão que brilha através do edifício da Associação de Estudantes até a rua e pelo fato da cena comunicar o calor da noite, com as linhas principais destacando as pessoas caminhando. A 18-135 mm é uma ótima lente para este tipo de fotografia de documentário. O detalhe está por toda parte, desde o primeiro plano até a distância, há algo para se observar.

[Fotografia] Amostra de imagens

O Lanyon Building na Universidade da Rainha foi construído em 1845. O que mais gosto na entrada do edifício são os dois anjos que "guardam o portal de entrada anunciando sabedoria e virtude no interior". Queria capturar o anjo do mesmo ângulo que as pessoas que olham para cima os veem, quando passam através da quadra da Universidade. Com o zoom consegui capturar o detalhe do anjo a partir do nível do chão.

[Fotografia] Amostra de imagens

A imagem foi capturada a alguns quilômetros de Belfast, na cidade de Lisburn. A imagem é uma das minhas vistas favoritas da galeria R-Space de Lisburn. Amo os detalhes do telhado antigo inclinado no primeiro plano até a torre do relógio ao longe. O alcance focal longo da lente de 18 a 135 mm me permitiu enquadrar a imagem, exatamente da maneira que eu queria. Particularmente gosto da maneira como as nuvens proporcionam um aspecto dramático à imagem.

[Fotografia] Amostra de imagens

A Universidade da Rainha de Belfast é um espetáculo a ser visto. Costumava andar através da quadra, três ou quatro vezes por dia, maravilhado com a beleza do Lanyon Building. Esta fotografia é outra imagem de longa exposição. Era uma noite nublada, de modo que coloquei o foco no edifício para suavizar as nuvens. Além disso, o sol estava baixo no céu e refletia agradavelmente o trabalho da construção em tijolos e as janelas do edifício.


Powered By OneLink