Série X

FUJIFILM X-T1

Bobbi Lane

Biografia do fotógrafo

Bobbi Lane é um fotógrafo profissional especializado em retratos criativos em estúdio e no local. A abordagem multi-facetada de Lane para a fotografia incorpora mais de 40 anos de experiência técnica com a interpretação artística inovadora. Lane fotografa principalmente pessoas para editoriais e contas publicitárias, bem como "pessoas reais". Seu banco de fotografias já foi vendido em todo o mundo para anúncios, cartazes e outdoors, para clientes que incluem: Aramco, CB Richard Ellis, Charles Schwab, GE, Warner Bros., PricewaterhouseCoopers, Bose Corp., Mattel, McDonnell/Douglas, Sears' Tower Skydeck, e Sekonic Meters.

Como educadora fotográfica dedicada, ela traz conhecimento e entusiasmo para suas oficinas divertidas. O excelente relacionamento e comunicação de Bobbi com seus alunos inspira e motiva, enquanto o seu estilo de ensino direto atinge estudantes de vários níveis de habilidade diferentes. Bobbi foi nomeada como uma das principais entre os "instrutores de seminários" pela Photo District News e foi homenageada com um prêmio de reconhecimento especial para educação de fotógrafos de publicidade da América em seu 25o aniversário.

www.BobbiLane.com

Depoimento do fotógrafo

A FUJIFILM X-T1 é a minha nova câmera de escolha. É uma câmera leve, com qualidade DSLR. Meu objetivo sempre como fotógrafo é usar a ferramenta apropriada para a minha visão, dessa forma, qualquer equipamento que eu precise para realizar o trabalho é a ferramenta certa. Minhas câmeras devem ser uma extensão das minhas mãos, e eu quero usá-las de forma intuitiva, sem ter que parar e pensar sobre a mecânica, mas estar confortável com os controles para que eu possa ajustar de forma rápida e fácil. Eu não mimo o meu equipamento e espero que ele funcione. A X-T1 é muito boa, muito melhor do que eu esperava de uma pequena câmera.

Trabalhos do fotógrafo

Lee Varis é um fotógrafo profissional da comunidade Adobe (antigamente chamado Adobe Influencer) (Lee também fotografa com a X-Pro1). www.varis.com

Este é um disparo "arraste o obturador", pelo qual eu sou bem conhecido. Eu estava usando uma cabeça estrobo Profoto D1 Air com um prato de prata e grade. Há um refletor de prata no lado direito da câmera para adicionar um pouco de luz "de corte" para o lado esquerdo de seu rosto. O ISO era 200, exposição manual da câmera, o que é necessário ao fotografar com o estroboscópio. A parada f é f 9, e o ss é 1/8. A WB é Tungsten e há um CTO completo no estrobo para converter a cor de tungstênio para combinar com as luzes de holofotes nas fotos. A câmera é sacudida durante a exposição fazendo desfocar o pano de fundo iluminado pela luz ambiente, enquanto o estrobo congela o objeto.

[Fotografia] Amostra de imagens

ISO 200 f 1,4 a 1/800, WB Luz do dia. O modo de exposição é de abertura automática, Fotometria: Padrão. Ele está no início de um túnel que vai sob uma rua movimentada para os pedestres então é iluminação de "porta de garagem" ou "varanda".
 
 

[Fotografia] Amostra de imagens

Esta é uma imagem de luz natural, com uma janela atrás dela agindo como uma luz de cabelo e um refletor saltando a luz de volta em seu rosto. ISO 400, f 1,2 a 1/60, WB Luz do dia. Modo de exposição: manual, Modo de fotometria: padrão
 

[Fotografia] Amostra de imagens

ISO 400, f 2,0, a 1/125, WB sombra. Modo de exposição: manual, Modo de fotometria: padrão Jeff está em pé em um grande túnel de passagem que tem luz brilhante em ambas as extremidades para que ele tenha a luz principal da câmera à esquerda e a luz de "corte" à direita da câmera. Não há refletores, usando apenas a luz.

[Fotografia] Amostra de imagens

O sol de fim de tarde foi um pouco suavizado por alguma neblina, tornando-o perfeito para os tons de pele quente, sem muito contraste. O sol está baixo o suficiente para lançar as sombras dos arcos na parede do estuque atrás dele de forma que eu o enquadrei dentro de um dos arcos. A parede está refletindo a luz de volta para a câmera do lado esquerdo de seu rosto, agindo como um preenchimento natural. Não há refletores, sem técnicas especiais, apenas trabalhando com a beleza da luz da hora dourada. ISO 200, f 1,8 a 1/2000. A utilização de uma profundidade de campo muito rasa e enquadramento cuidadoso mantém a concentração do espectador no rosto do objeto e o fundo é apenas uma impressão suave.

[Fotografia] Amostra de imagens

Esta foi fotografada com um estrobo, Profoto B1 e uma grade. ISO 200. F 8, 1/180, WB luz do dia para o estrobo. Esta foi fotografada com o filtro amarelo monocromático. A lente é a 18-55 f 2,8-4, configurada para 55 mm.

Dan Bailey

Biografia do fotógrafo

Dan Bailey é fotógrafo de esportes radicais e atividades externas em tempo integral desde 1996. Sua própria paixão pela aventura, muitas vezes o coloca lado a lado com seus objetos conforme ele documenta a cena em andamento e procura a imagem perfeita. Dessa forma, sua fotografia tornou-se um veículo para uma vida de exploração uma vez que ele trabalha para fotografar expedições, culturas e paisagens ao redor do mundo. Seu estilo de fotografia pode ser definido como um cruzamento entre a imersão bruta da primeira pessoa do fotojornalismo e a criatividade focada da fotografia comercial de alta qualidade. A lista de atribuições e clientes de Dan inclui a Alaska Airlines, Holland America Line, Fidelity Investments, Thales Navigation, Patagonia, Outdoor Research, Backpacker Magazine, Outside, Salsa Cycles e Coleman.

Dan também ministra seminários de fotografia com Through The Lens Alaska e escreve sobre fotografia. Ele publicou 6 eBooks, e seu último título, ZEN PHOTOGRAPHER foi classificado como um dos melhores livros de 2013 pelo site de fotografia popular, Photo.net. Ele está atualmente trabalhando em um livro de instruções para fotografia radical, que será publicado no próximo ano pela Focal Press.

Com forte experiência técnica, um nível enorme de energia e uma verdadeira dedicação ao seu ofício, Dan trabalha duro para criar as imagens mais dinâmicas possíveis. Em suma, quase não há limite para o quão longe ele vai chegar para obter "o disparo". Um nativo de Colorado, Dan vive atualmente em Anchorage, Alaska, onde passa o seu tempo livre explorando em seu pequeno Cessna amarelo, caminhando e esquiando nas montanhas e pedalando suas bicicletas.

www.DanBaileyPhoto.com

Depoimento do fotógrafo

A FUJIFILM X-T1 é a minha câmera número um atualmente. Com o seu design compacto, robusto e sistema AF preditivo rápido que rastreia o movimento em 8 qps, a X-T1 me oferece alto desempenho em um corpo leve, e resiste ao abuso e rigor que eu provavelmente proporciono quando estou fotografando elementos extremos. Além disso, como um usuário DSLR de longa data, gosto da sensação intrínseca de olhar através de um visor, de modo que o grande EVF brilhante na X-T1 é uma enorme vantagem para mim. É tão bom que quando eu coloco a câmera em meus olhos, eu geralmente esqueço que estou realmente apenas olhando para uma pequena tela de TV. Mecanicamente, é muito confortável em minhas mãos, e todos os controle manuais me permitem fazer alterações rápidas, o que é essencial ao trabalhar em situações que mudam rapidamente. A câmera é construída com algumas características extremamente úteis, criativas e bem pensadas, e que proporciona imagens de qualidade inacreditável. Resumindo: A X-T1 não me atrasa ou me deixa na mão, mesmo quando estou filmando uma ação rápida em terreno técnico e em condições meteorológicas difíceis.

Trabalhos do fotógrafo

ISO 200, f/4.5 a 1/1250 s. Fotografei esta enquanto caminhava em Sólheimajökull Gladier na Islândia. O visor super amplo das lentes XF de 14 mm proporciona aquele ponto ocular "bem no meio da ação" e o sistema AF preditivo na X-T1 permite fotografar enquanto seguro a câmera no modo baixo e ainda capturo o objeto em movimento com foco nítido. Modo de exposição: abertura, Fotometria: padrão.

[Fotografia] Amostra de imagens

ISO 400, f/4 a 1/25 s. Para chegar a este ponto de vista, conectei a X-T1 com lentes XF de 14 mm à bicicleta com uma braçadeira Manfrotto Super e braço de fricção variável. Utilizando o temporizador e uma velocidade de obturador relativamente baixa, consegui capturar a sensação de movimento, enquanto andava de bicicleta pela trilha com neve fresca. Modo de exposição: abertura, Fotometria: padrão.
 
 

[Fotografia] Amostra de imagens

ISO 200, f/16 a 1/60 s. Esta foi uma das minhas primeiras fotos tiradas com a X-T1. Eu estava perseguindo a luz em torno das trilhas perto da minha vizinhança por volta das 2:30 da tarde no final de dezembro e me deparei com esta paisagem de neve intocada que foi iluminada com o sol baixo da tarde. Utilizando as lentes XF de 18-55 mm, me aproximei ao máximo e parei as lentes em f/16 para criar o efeito de pôr do sol. Modo de exposição: abertura, Fotometria: padrão.
 

[Fotografia] Amostra de imagens

ISO 100, f/9 a 1/100 s. Enquanto visitava a costa sul da Islândia, me deparei com essas formações basálticas. Para compensar a forte luz do meio-dia, usei a simulação de filme BW, a fim de acentuar a natureza geométrica corajosa dessas colunas. Utilizando as lentes XF de 14 mm, consegui criar uma paisagem panorâmica, enquanto trabalhava em um espaço limitado. Modo de exposição: abertura, Fotometria: padrão.

[Fotografia] Amostra de imagens

ISO 200, f/3.2 a 1/3200 s. Enquanto buscávamos locações, chegamos ao Matanuska Glacier bem ao final do dia. Utilizando as lentes XF de 56 mm, comprimi a cena e isolei algumas torres de gelo acidentadas. A lua foi um bônus. Modo de exposição: abertura, Fotometria: padrão.

[Fotografia] Amostra de imagens

ISO 400, f/5.6 a 1/250 s. Ao criar imagens para um cliente, bombeamos água do riacho e pulverizamos toda a cena para criar o efeito de chuva. Isso significa que eu estava ficando muito molhado também, mas a X-T1 à prova d'água continuou fotografando. Utilizando as lentes XF de 56 mm f/1.2, fotografei em modo AF contínuo e continuei fotografando quadro após quadro para garantir que conseguiríamos o que era necessário. A lente de 56 mm oferece uma profundidade de campo agradável e, ao mesmo tempo, permite manter a velocidade do obturador até com luz fraca e tempo nublado. Modo de exposição: manual, Fotometria: padrão

[Fotografia] Amostra de imagens

ISO 250, f/6.4 em 1/950 s. Esta é uma foto em luz natural ao entardecer. Fotografo de um ponto de vista levemente mais baixo para dar uma "aparência de herói" ao meu objeto. Utilizando a extremidade grande da lente XF de 18-55 mm, foi possível chegar perto e ainda mostrar parte do ambiente no segundo plano. Modo de exposição: abertura, Fotometria: padrão.

Jonathan Irish

Jonathan Irish, fotógrafo de exteriores profissional, e as câmeras digitais da Série X e Instax da Fujifilm capturam a beleza inspiradora de todos os 59 parques nacionais dos EUA em apenas 52 semanas

O fotógrafo de exteriores profissional, Jonathan Irish e a "The Greatest American Road Trip" (A maior viagem pelas estradas americanas) uma aventura fotográfica épica de longos anos, começarão a capturar a beleza crua e cenários de tirar o fôlego de todos os 59 parques nacionais dos EUA e celebrarão o centenário do Serviço de Parques Nacionais dos EUA. Na sexta-feira, 1 de janeiro de 2016, Jonathan Irish, que fotografou muitas publicações notáveis e fontes de mídia incluindo a National Geographic, The New York Times, CNN e BBC, e Stefanie Payne, uma autora de aberturas de reportagens de desenvolvimento de produtos da NASA, começaram sua ambiciosa jornada para visitar todos os 59 parques em apenas 52 semanas.

Clique aqui para visualizar as fotos tiradas em cada um dos 59 parques nacionais dos EUA

Para mais informações sobre o "The Greatest American Roadtrip", acesse www.TheGreatestRoadtrip.com

Conecte-se com Jonathan e Stefanie em sua aventura

Facebook: facebook.com/59in52
Twitter: twitter.com/MagnumJI
Twitter: twitter.com/iStefPayne
Instagram: instagram.com/jonathan_irish
Instagram: instagram.com/istefpayne/
Tumblr: istefpayne.tumblr.com/
YouTube: YouTube.com/

Biografia do fotógrafo

Jonathan Irish é fotógrafo profissional de aventuras e viagens e mora em Washington, DC. Ele se especializou em tirar fotografias de estilos de vida ativos, paisagens e culturas em outros países. Seu trabalho foi publicado por clientes no mundo inteiro, incluindo a National Geographic, National Geographic Traveler, Apple, revista Outside e muitos outros. Jonathan também é membro participante da American Society of Picture Professionals (ASPP - Sociedade Americana de Profissionais de Imagem), Capítulo DC -Sul. Como um “Fotógrafo da Série X”, Jonathan se sente honrado por divulgar para o mundo a fantástica linha de câmeras que a FUJIFILM está produzindo.

www.JonathanIrish.com

Depoimento do fotógrafo

Simplesmente acho a nova FUJIFILM X-T1 fantástica. Como fotógrafo de aventuras e viagens, o tamanho compacto da câmera realmente é importante para mim. Entretanto, o que realmente impressiona é a qualidade de imagem excelente que está no mesmo nível (ou até melhor!) Minha grande e pesada DSLR. Até agora, a qualidade de imagem tem me surpreendido. A impermeabilidade da X-T1 é realmente útil quando estou na chuva ou neve, e o foco automático de iluminação rápida me permite tirar fotos de esportes de ação, sem perder nenhuma foto. Estava aguardando o lançamento das câmeras sem espelhos para ver se as grandes SDLRs valiam a pena e, com a FUJIFILM X-T1, acredito que essa espera acabou.

Trabalhos do fotógrafo

A formação Navajo, de arenito e formada pela erosão do vento, chamada A Onda é refletida em uma pequena poça de água. Localizada no sul de Utah, no Monumento Nacional Vermilion Cliffs, ela é um lugar mágico para caminhar e fotografar. X-T1 com a lente XF10-24.

[Fotografia] Amostra de imagens

Fantasmagóricas nuvens de poeira rodopiam no Cânion Upper Antelope, um lugar icônico para a fotografia, próximo de Page, Arizona, no sudoeste americano. X-T1 com a lente XF10-24.
 
 

[Fotografia] Amostra de imagens

Pinguins-rei refletidos nas águas frias da Ilha Geórgia do Sul, que abriga as maiores populações destas aves graciosas, logo acima do círculo antártico. X-T1 com a lente XF50-140.
 

[Fotografia] Amostra de imagens

Pinguins Adelie abrigam-se em um belo iceberg flutuante ao longo da Península Antártica. X-T1 com a lente XF50-140.
 

[Fotografia] Amostra de imagens

Trouxe a X-T1 para o Parque Nacional de Yosemite e me apaixonei pelas fotografias que tirei. O detalhes das árvores são incríveis. Além disso, enquanto estava caminhando, as câmeras compactas não eram verdadeiramente um fardo. ISO 400, f / 8 em 1/60, WB (balanço de branco) automático. Modo de exposição: manual, Modo de fotometria: padrão
 
 

[Fotografia] Amostra de imagens

Cheguei bem perto de uma cachoeira para fotografar. Normalmente, eu me preocuparia com os respingos de água. Mas, a impermeabilidade da X-T1 realmente me deu confiança para fazer a foto que eu imaginei e esquecer os respingos. ISO 100, f / 18 em 2,5 segundos, balanço de branco automático. Modo de exposição: manual, Modo de fotometria: padrão
 

[Fotografia] Amostra de imagens

Quis testar o desempenho da X-T1 em fotos de longa exposição, por isso, fui para a Golden Gate Bridge e experimentei fotografar com exposições diferentes. O desempenho da X-T1 foi maravilhoso. ISO 100, f / 6,4 em 30 segundos, balanço de branco automático. Modo de exposição: manual, Modo de fotometria: padrão
 

Dan Westergren

Biografia do fotógrafo

Dan Westergren, Diretor de Fotografia da National Geographic Travel mora em Washington DC onde passa seus dias olhando imagens de alguns dos lugares mais bonitos do mundo. Desde que pegou uma câmera no 8º ano, ele ficou fascinado com a fotografia e com a maneira como os fotógrafos criam objetos de beleza do mundo em geral. Ele transformou este fascínio em uma obsessão de vida ao fotografar constantemente tudo ao seu redor. Ele tem sorte de fotografar, para as páginas da National Geographic Traveler, lugares incríveis como o cume do Monte Blanc e o Polo Norte. Mas, com frequência, seus objetos são apenas os cachorros da vizinhança ou seus filhos, que ele arrasta até o rio Potomac e os faz ficar submersos até a cintura na água fria aguardando a luz "certa". Ele também é um professor experiente, tendo conduzido workshops para a National Geographic Expeditions em Santa Fé, Toscana, Baja, Antártica, Oceano Ártico, Washington DC e Ilhas Galápagos.

Depoimento do fotógrafo

Sempre preferi usar câmeras pequenas e discretas em meu trabalho fotográfico. Quando o mundo da fotografia trocou para a fotografia digital, a minha busca para substituir câmeras de filme pequenas tornou-se muito difícil e resignei-me a levar câmeras enormes ao mundo afora para realizar meu trabalho. As câmeras da Série X da Fujifilm mudaram meu pensamento e, mais uma vez, carrego menos peso e me movo mais rápido com estas incríveis pequenas câmeras. No início, utilizei a FUJIFILM X-Pro1 como uma câmera secundária, que eu carregava junto ao meu kit de DSLRs. Mas, a FUJIFILM X-T1 mudou isso. Finalmente, tenho uma câmera pequena e que responde bem, com um enorme visor e qualidade de imagem excelente. Posso deixar as câmeras grandes em casa e saber que não estou comprometendo nada. Amo em especial, o compromisso da FUJIFILM com a simplicidade. A FUJIFILM X-T1 tem controles externos maravilhosos para quase todas as funções da câmera e não fico mais perdido em menus sem fim quando tento tirar fotos.

Trabalhos do fotógrafo

Na Grimsey Island, no Círculo Ártico, no verão, há mais de 20 horas de luz do sol. Minha visita a estes penhascos cheios de papagaios-do-mar coincidiu com o pôr do sol às 11:50 pm. Fiquei grato pelo alcance das lentes de zoom de 55-200 mm da FUJIFILM. A alta capacidade excelente de ISO da FUJIFILM X-T1 significa que posso disparar com sensibilidade ISO 3200, algo que quase nunca posso fazer com as câmeras das gerações anteriores e digitais. Especialmente agradável nesta fotografia foi o desempenho do Balanço de Branco automático da FUJIFILM. Não posso acreditar que as penas do peito do papagaio-do-mar permaneceram absolutamente brancas, enquanto a cor do por do sol refletindo em suas cabeças foi registrada exatamente como eu estava vendo, deitado lá, à beira do penhasco. ISO 3200, f/4.8 em 1/250, WB (balanço de branco) automático.

[Fotografia] Amostra de imagens

Estava em uma viagem de circum-navegação da Islândia no navio National Geographic Explorer almoçando, quando entramos no porto da Heimaey Island, Vestmannaeyjar, Islândia. Era o meio do dia, então, eu não estava esperando nenhuma grande oportunidade fotográfica. Olhei pela janela e observei que a neblina espessa da manhã estava começando a desaparecer. Peguei a X-T1 com as lentes de aproximação de 18-55 mm e corri para o convés do navio para capturar esta imagem, à medida que navegávamos pelos penhascos impressionantes na entrada do porto. Como a X-T1 é pequena e fácil de transportar, eu a carregava quase todo o tempo. Isso realmente fez diferença na hora de capturar o drama da cena, exatamente no momento certo. ISO 400, f/4 em 1/320, WB (balanço de branco) automático.
 

[Fotografia] Amostra de imagens

Enquanto estava no porto de Ajureyri, a segunda maior cidade da Islândia, me lembrei porque amo viajar para as regiões do extremo norte de nosso planeta. Mais uma vez, perto da meia-noite, fui testemunha de um incrível show de cores de luz no céu. A parte mais difícil de tirar esta fotografia foi realmente estar neste lugar e na hora certa. Tinha a FUJIFILM XT1 configurada para prioridade de abertura com fotometria de múltiplos padrões. Assim, eu simplesmente apontei a câmera para a cena e fotografei o que estava vendo e consegui o que estava procurando. ISO 400, f/5.6 em 1/70, WB Auto (Balanço de Branco).

Bryan Caporicci

Biografia do fotógrafo

Bryan Caporicci é um premiado fotógrafo de casamentos e retratos, que mora fora de Fonthill no Canadá. Ele é um fotógrafo da FUJIFILM X e em 2011, foi premiado com a designação Craftsman of Photographic Arts (CPA) por Fotógrafos Profissionais do Canadá (PPOC), tornando-o o mais jovem fotógrafo canadense a receber este nível de realização. Bryan também é o presidente da filial Hamilton/Niágara do PPOC.

Bryan mantém um site educacional popular para fotógrafos chamado Sprouting Photographe, onde escreve artigos detalhados e do tipo "como fazer" (how-to), voltados ao negócio de ser criativo. Seu Sprouting Photographer podcast está na página inicial do iTunes desde seu lançamento. No show, Bryan entrevista líderes de ideias sobre todos os tópicos específicos do negócio, quando se relacionam à fotografia.

Bryan é co-autor do livro "Pricing for Profit", onde ele analisa os detalhes práticos do preço da fotografia para uma carreira sustentável e de longa duração, como um fotógrafo profissional. O livro foi adaptado por diversas faculdades e instituições de ensino como parte do conteúdo de seus cursos e livros-textos e, por isso, Bryan orgulha-se de ter sua mensagem e ideias sendo ensinadas a fotógrafos mais jovens, que estão iniciando a sua carreira.

Bryan é um orador e educador muito procurado e já ministrou palestras para e na Vistek, Henry's, FUJIFILM e PPOC. Bryan tem dois livros que estão sendo publicados com a Amherst Media no final de 2014; um deles é específico para câmeras sem espelho para fotógrafos profissionais. Se estiver interessado em obter mais informações sobre esse livro, inscreva-se nesta comunidade sem espelho exclusiva aqui.

Depoimento do fotógrafo

Minhas câmeras sem espelho da FUJIFILM mudaram meu modo de ver a fotografia. Especificamente, minha FUJIFILM XT1 me oferece a qualidade e flexibilidade ao qual estou acostumado com minhas câmeras DSLR, mas com um tamanho e peso muito mais manejáveis. Além disso, o visor eletrônico (EVF) e os controles de tonalidade inspiram-me a fotografar com mais intenção e permitem-me criar um imaginário muito mais bem planejado. O corpo bruto, duro e mecânico da FUJIFILM XT1 me faz sentir como se fosse parte do processo de tirar fotografias. O processamento de imagem na câmera FUJIFILM é excelente e produz JPGs ricos, quentes, nítidos e densos fora da câmera, economizando horas de tempo de processamento, o que me permite ficar por trás da câmera mais que eu fico atrás do meu computador.

Trabalhos do fotógrafo

Esta imagem foi criada no final da sessão de noivado de um casal, enquanto procurávamos os últimos raios de sol. Fiz com que eles andassem até o limite do campo e me posicionei com a minha FUJIFILM XT1 e lente de 56 mm pela grama alta. Com a tela dobrável da XT1, consegui trazer a câmera diretamente para o chão e escolher meu ponto de vantagem e ver o casal através da grama alta.

[Fotografia] Amostra de imagens

Estava fotografando o casal em um beco escuro no centro de Niagara-on-the-Lake e, quando estávamos saindo, havia um belo resquício de luz vindo através da abertura no final do beco. Usando minha FUJIFILM XE1 e a lente de 60 mm, cheguei perto e foquei nos lábios do casal. Utilizei uma compensação de exposição de -2EV para diminuir o brilho em suas faces e enfatizar o clima da luz em seus lábios.

[Fotografia] Amostra de imagens

Usando minha FUJIFILM XT1 e lente de 56 mm, defini manualmente o balanço de branco para 10.000K para enfatizar a ternura e intimidade do momento. Pedi ao casal para olhar para os lábios um do outro, respirar fundo e mergulhar nos raios quentes do sol que brilhavam sobre eles. Ao selecionar uma ampla abertura e escolher um segundo plano mais afastado do casal, criei uma bela profundidade de campo e efeito "bokeh", que chamou sua atenção diretamente para o momento que acontecia entre este casal apaixonado.

[Fotografia] Amostra de imagens

Com o sol espreitando através das árvores posicionadas atrás, fiz meu casal ficar reunido em um abraço íntimo. Me posicionei com minha FUJIFILM XT1 e lente de 56 mm para capturar o calor do segundo plano e decidi espelhar isto com um momento terno entre o casal. Usando a EVF, consegui posicionar a refração do sol para agregar um elemento visual adicional a esta imagem.

[Fotografia] Amostra de imagens

Encontramos um espaço fechado, durante uma sessão de retratos de família sob o palco de um anfiteatro, e posicionei os garotos de encontro à parede mais distante, onde havia uma bela luz direcional suave incidindo sobre suas faces. Com minha FUJIFILM XE1 e lente de 60 mm, usei a tela LCD na parte de trás da câmera para manter o contato visual e envolvimento com os garotos. Brincamos, rimos e eles fizeram cócegas um no outro; eu os fotografei em um momento que verdadeiramente personifica o relacionamento dos irmãos.

[Fotografia] Amostra de imagens

Depois da cerimônia de casamento, levei meu casal para esta bela estrutura tipo mirante com colunas para tirar alguns retratos. Sabia que queria enfatizar a arquitetura e textura rica das colunas, enquanto também criava uma composição interessante, tendo o meu casal como foco principal. Com a minha FUJIFILM XT1, girei a tela, o que me permitiu trazer o ângulo da câmera bem para baixo e fotografar para cima. Utilizando minha lente de 10-24 mm, ampliei o máximo para enfatizar as linhas e colunas. Estrategicamente coloquei o sol por trás da coluna principal e então, vagarosamente, movi minha câmera em torno para permitir que o sol incidisse sobre a coluna, criando uma refração sutil.

Riley Joseph

Biografia do fotógrafo

Olá, meu nome é Riley Joseph. Sou um fotógrafo e um cavalheiro.

A fotografia é algo que tenho feito por quase metade da minha vida. Comecei com uma SLR de filmes que meus pais me trouxeram na década de 90, que eu não tinha nenhuma ideia de como usar. Tudo que levou foram uns 17 anos, depois dos quais eu me sinto muito mais confortável segurando uma câmera que sem ela.

Na fotografia, como na maioria das artes, é importante crescer continuamente e aprimorar suas habilidades. Sempre tive uma câmera comigo. Minha esposa é testemunha que se eu achar que estou vendo uma foto potencial, paro tudo e tento tirar a fotografia. Ela sabe que quando digo "Só uma mais", rapidamente isso vai virar algumas fotos mais.

Sou fotógrafo de documentários e retratos. Amo criar.

"Fotógrafos lidam com coisas que estão continuamente desaparecendo e, quando elas desaparecem, não há nenhum artifício na terra que possa trazê-las novamente." – Henri Cartier-Bresson

rileyjoseph.com
twitter.com/riley_joseph
instagram.com/rileyjoseph

Depoimento do fotógrafo

Em um tempo muito distante, achei que teria que arrancar minha FUJIFILM X-Pro1 da minha mão. Inicialmente, resisti à X-T1. Não queria gostar dessa câmera. Mas, em pouco tempo, me tornei um superfã. O EVF é fenomenal. Ela parece sólida em minha mão. Não fico com medo dos elementos quando tenho a X-T1 comigo.

Minha troca das dSLRs aconteceu como resultado de querer ficar livre de carregar um grande peso, sem comprometer o desempenho. A X-T1 é a ferramenta perfeita para qualquer um que sinta necessidade deste sentido tátil da câmera de outrora. Ao olhar para ela e os seletores, você sabe exatamente como ela está configurada, mesmo antes de ligar a câmera. A X-T1 não atrapalha e me permite focar no meu processo criativo. Quer eu esteja fotografando retratos, ruas, paisagens... a X-T1 é minha companheira.

Trabalhos do fotógrafo

Recentemente, meu amor pela fotografia de paisagens foi renascido com uma viagem às Montanhas Rochosas do Canadá. Um pouco antes dessa fotografia, caiu uma chuva bem forte. Minha FUJIFILM X-T1 ficou ensopada, mas ainda apta a continuar em volta do Emerald Lake (Lago Esmeralda). As nuvens se dispersaram e o sol se derramou em um corredor de avalanches desprovido de árvores. A grama verde brilhava e refletia a água. Queria que a grama verde sobressaísse ainda mais. Defini a abertura para f/2.8 para colocar a água aos meus pés completamente fora da nitidez e foquei nas árvores esparsas, sobreviventes das últimas avalanches de neve do inverno, posicionadas na lateral da montanha. As nuvens auxiliaram em minha técnica de dodging e burning (clarear e escurecer) nesta foto.

[Fotografia] Amostra de imagens

Descobri durante os disparos dos retratos, que alguns dos melhores momentos são documentados entre locações. Enquanto ia para uma parte diferente da propriedade, o vaqueiro e seu melhor amigo ficaram de pé no campo, enquanto eu discutia a próxima imagem profissional com sua esposa. Ela gritou para ele: "onde vocês dois estão indo?" Eu me virei e instantaneamente vi uma fotografia. Coloquei minha bolsa no chão e peguei minha FUJIFILM X-T1. Tinha meu filtro ND no meu bolso traseiro e senti que provavelmente ia precisar dele. Defini o obturador para 1/4000 de um segundo. Pude ver que a abertura já estava definida em f/1.2 de um momento anterior. Segurei a câmera de encontro ao meu olho e graças à visualização da exposição pude ver exatamente como queria capturar a foto, sem o filtro ND. Esperei até que nosso amigo canino, Baxter, virasse sua cabeça para longe do campo para adicionar um pouco mais de interesse à foto. E sem os objetos da foto saberem, fotografei o momento.

[Fotografia] Amostra de imagens

Explorar a cidade com meu colega de fotografia da FUJIFILM, Curtis Gee, é minha maneira favorita de passar o tempo. Com minha FUJIFILM X-T1 posso explorar sem sentir que tenho uma âncora presa a mim. Sempre me sinto atraído pelas texturas ásperas, linhas rígidas e qualidades industriais das garagens de estacionamentos. A variedade acima do solo também oferece um ponto de vantagem superior. Descemos para o nível mais baixo e vi a coluna de luz que estava caindo através do centro da rampa de veículos em espiral. Curt subiu na plataforma para tirar algumas fotografias da rampa com sua FUJIFILM X-E2. Gritei para ele: "mantenha essa posição!"... Recuei, subi em uma parede de concreto e finalmente tinha a composição que eu queria. A cabeça de Curt e os braços de encontro ao segundo plano limpo, olhando para cima. A luz caía em sua face.

[Fotografia] Amostra de imagens

Fui contratado para tirar fotografias de produção para a estreia de uma peça em um festival local. Não é meu tipo de trabalho, mas já que minha irmã era a autora, diretora e maquiadora da peça, era difícil recusar. Cheguei no ensaio no porão de um salão da comunidade para fotografar os rostos do elenco para a promoção. Por sorte, trouxe um refletor 5 em 1 comigo para usar como segundo plano em preto. Esta foi a primeira fez que utilizei o compartimento de bateria opcional da FUJIFILM, adaptável à minha FUJIFILM X-T1 Como nunca gostei do volume adicional dos compartimentos de bateria nos tempos passados, este acessório adaptável me permitiu mais liberdade no disparo vertical. E ainda assim, a XT-1 estava leve e compacta. Usei um softbox de 28" com uma câmera com sistema de enquadramento à esquerda. Fotografei na velocidade de sincronismo máximo de 1/180 de um segundo para reduzir a luz ambiente. Com a expressão impassível necessária, os olhos foram forçados a transmitir sua história. A profundidade de campo reduzida é cortesia da FUJINON XF de 56 mm com abertura ampla de f/1.2 R.

Elia Locardi

Biografia do fotógrafo

Elia Locardi é fotógrafo viajante profissional internacional reconhecido, escritor, orador público e educador que dedica sua vida fotografando algumas das mais bonitas localidades no mundo. Independente de localização desde março de 2012, ele e sua esposa vivem um estilo de vida 100% móvel, perpetuamente viajando de país para país, continuamente circulando o globo. Desde que começou a viajar em tempo integral em 2009, ele visitou mais de 50 países e voou mais de um milhão de milhas. Reconhecido recentemente pela Revista de Fotografia Profissional,
CNet Austrália e Wacom EUA, Elia construiu uma rede de seguidores comprometidos com mais de 2,5 milhões de pessoas através das várias plataformas de mídias sociais.

Usando uma combinação de técnicas tradicionais internas da câmera, momentos do dia específicos e métodos de pós-processamento avançados, Elia desenvolveu um estilo extensamente reconhecido e altamente original da fotografia de viagem. Com cada fotografia, seu objetivo é compartilhar sua visão de forma que outros possam ver o mundo como ele vê, cheio de cor, textura, profundidade e emoção.

Durante toda a viagem, ele compartilha da Arte da Fotografia em seu blog, ensina técnicas de pós-processamento em apresentações no mundo todo, fala nas mais importantes convenções internacionais de fotografia, e é orgulhoso de ser um dos fundadores e líder da Dream Photo Tours; uma empresa que desenvolve as aclamadas viagens que celebram a fotografia, história, cultura e experiências pessoais únicas em alguns dos destinos mais fascinantes e mais exóticos no mundo.

Google+: http://www.google.com/+EliaLocardi
Facebook: https://www.facebook.com/elialocardi
Twitter: https://twitter.com/EliaLocardi
Instagram: http://instagram.com/elialocardi
Linkedin: http://www.linkedin.com/in/elialocardi
Blog: www.blamethemonkey.com
Portfólio: www.elialocardi.com
Foto de viagens: http://dreamphototours.com/elia-locardi/

Depoimento do fotógrafo

Por ser independente de localização e um fotógrafo em tempo integral de viagem, é essencial para mim minimizar minha carga de equipamentos sem sacrificar a qualidade. A FUJIFILM X-T1 junto com as lentes XF FUJINON são uma combinação poderosa que entregam uma qualidade superior de imagem em pouco peso, portátil e um pacote pronto para a estrada. É realmente a câmera perfeita para um nômade global como eu.

Minha característica favorita da X-T1 é sua resistência à intempéries, poeira, água e ser capaz de funcionar em baixas temperaturas de -10°C (algumas com as lentes resistentes à água recentemente lançadas) e estas características fazem dela uma opção impressionante para a fotografia de paisagem e quando estou fotografando em ambientes com condições climáticas dinâmicas.

Trabalhos do fotógrafo

Dentro do Vaticano em Roma você encontrará uma das escadas espirais mais extraordinárias no mundo.

  • Câmera: FUJIFILM X-T1
  • Lente: FUJIFILM XF 10-24 mm f/4 R OIS
  • Abertura: f/4
  • Exposição: 1/7 s
  • Distância focal: 10mm
  • ISO: 200
[Fotografia] Amostra de imagens

Um mar de flores de cereja cercam a bonita vista do Monte Fuji em Fujiyoshida, Japão.

  • Câmera: FUJIFILM X-T1
  • Lente: FUJIFILM XF 10-24 mm f/4 R OIS
  • Abertura: f/8
  • Exposição: 1/900 s
  • Distância focal: 14mm
  • ISO: 800
[Fotografia] Amostra de imagens

A vista do pico de Victoria em uma noite limpa na paisagem urbana densa de Hong Kong.

  • Câmera: FUJIFILM X-T1
  • Lente: FUJIFILM XF 10-24 mm f/4 R OIS
  • Abertura: f/8
  • Exposição: 3,7 s
  • Distância focal: 13 mm
  • ISO: 200
[Fotografia] Amostra de imagens

No nascer do sol, as cores dos campos de lavanda em Valensole, França são absolutamente espetaculares.

  • Câmera: FUJIFILM X-T1
  • Lente: FUJIFILM XF 10-24 mm f/2,8-4,0 R LM OIS
  • Abertura: f/8
  • Exposição: 1/90 s
  • Distância focal: 19 mm
  • ISO: 400
[Fotografia] Amostra de imagens

Um por do sol quieto na pequena bela cidade de Vernazza, em Le Cinque Terre, Itália.

  • Câmera: FUJIFILM X-T1
  • Lente: FUJIFILM XF 10-24 mm f/2,8-4,0 R LM OIS
  • Abertura: f/9
  • Exposição: 1/15 s
  • Distância focal: 14mm
  • ISO: 200
[Fotografia] Amostra de imagens

A vista dos pássaros da Gold Coast Australia, uma das joias da Costa de Queensland.

  • Câmera: FUJIFILM X-T1 (disparo portátil)
  • Lente: FUJIFILM XF 10-24 mm f/4 R OIS
  • Abertura: f/8
  • Exposição: 1/125
  • Distância focal: 10mm
  • ISO: 400
[Fotografia] Amostra de imagens

Uma manhã silenciosa e nebulosa, preparando um passeio do balão de ar quente em Queensland Austrália Scenic Rim.

  • Câmera: FUJIFILM X-T1 (disparo portátil)
  • Lente: FUJIFILM XF 10-24 mm f/4 R OIS
  • Abertura: f/4
  • Exposição: 1/60th
  • Distância focal: 10mm
  • ISO: 1000

Ken Kaminesky

Biografia do fotógrafo

Ken Kaminesky é um fotógrafo veterano comercial de viagens, Embaixador Global da Fujifilm e Fotógrafo-X, escritor, consultor e empresário com décadas de experiência na indústria de fotografia. Seu trabalho foi destaque em todo o mundo em numerosas publicações comerciais e editoriais, incluindo o New York Times e a capa da National Geographic. Sua paixão por viagens e as incríveis paisagens e pessoas que ele encontra ao longo do caminho são a inspiração para seu popular blog e outras publicações para as quais escreve.

Seu lugar favorito no mundo é sempre o seu próximo destino. Ele acredita que cada lugar tem uma história única que inspirará outros, que ele pretende capturar e compartilhar em suas imagens.

Quando não está em um avião ou olhando através de uma câmera, você pode encontrá-lo (e uma seleção de suas fotos mais famosas) em seu site, www.kenkaminesky.com

Google+: https://plus.google.com/+kenkaminesky
Facebook: http://www.facebook.com/kenkaminesky
Twitter: https://twitter.com/KenKaminesky
Instagram: http://instagram.com/kenkaminesky
Linkedin: http://www.linkedin.com/in/kaminesky
Blog: http://blog.kenkaminesky.com
Portfólio: http://kenkaminesky.com/

Depoimento do fotógrafo

Mantendo-se fiel ao estilo retrô que a FUJIFILM abraçou, a impressionante XT1 não é apenas elegante, mas também uma câmera profissional séria. Para o fotógrafo de viagens profissional, possuir câmeras e lentes mais leves, sem sacrificar a qualidade é um benefício enorme. A coisa surpreendente sobre a X-T1 e o rápido crescimento da linha de lentes da FUJIFILM é que os fotógrafos não sacrificarão a qualidade quando optam pelo sistema de câmeras sem espelho mais leve da Série X. Na verdade, em muitos aspectos, é uma melhoria.

Vedação contra intempéries, exibição dupla EVF, pico de foco, LCD, obturador rápido de 8 qps, e Wi-Fi embutido são apenas algumas das características chave disponíveis nesta câmera profissional. Adicione a isso um desenho retrô bonito com ergonomia inteligente em termos de colocação de botão e seletor e você tem a X-T1. Esta é verdadeiramente a câmera de um fotógrafo.

Trabalhos do fotógrafo

Céu deslumbrante acima da Basílica de São Pedro e Ponte Sant'Angelo em Dusk

  • Câmera: FUJIFILM X-T1
  • Lente: FUJIFILM XF 55-200mm f/3,5-4,8 R LM OIS
  • Abertura: f/8
  • Exposição: 1,6 s
  • Distância focal: 60 mm
  • ISO: 200
[Fotografia] Amostra de imagens

Céu dramático na hora azul na Tower Bridge sobre o rio Tâmisa, em Londres, Inglaterra

  • Câmera: FUJIFILM X-T1
  • Lente: FUJIFILM XF 10-24 mm f/4 R OIS
  • Abertura: f/8
  • Exposição: 80 s
  • Distância focal: 12 mm
  • Filtro: Formatt-Hitech IRND 6 stop ND
  • ISO: 200
[Fotografia] Amostra de imagens

Algumas das milhares de cachoeiras no Parque Nacional Plitvice, na Croácia

  • Câmera: FUJIFILM X-T1
  • Lente: XF 55-200mm f/3,5-4,8 R LM OIS
  • Abertura: f/14
  • Exposição: 0,5 s
  • Distância focal: 135 mm
  • Filtro: Formatt-Hitech IRND 2 stop ND
  • ISO: 200
[Fotografia] Amostra de imagens

Raios de Sol em Floresta de Bambu - Kioto, Japão

  • Câmera: FUJIFILM X-T1
  • Lente: FUJIFILM XF 10-24 mm f/4 R OIS
  • Abertura: f/22
  • Exposição: 1/10 s
  • Distância focal: 10mm
  • ISO: 200
[Fotografia] Amostra de imagens

O Calidoscópio "Medusa" na Freeway em Tóquio, Japão

  • Câmera: FUJIFILM X-T1
  • Lente: FUJIFILM XF 10-24 mm f/4 R OIS
  • Abertura: f/9
  • Exposição: 1,4 s
  • Distância focal: 10mm
  • ISO: 200
[Fotografia] Amostra de imagens

As águas Crystal Clear do Lago Upper Kananaskis no Parque Peter Lougheed Provincial, em Alberta, Canadá

  • Câmera: FUJIFILM X-T1
  • Lente: FUJIFILM XF 10-24 mm f/4 R OIS
  • Abertura: f/16
  • Exposição: 58 s
  • Distância focal: 10mm
  • Filtro: Formatt-Hitech IRND 10 stop ND
  • ISO: 200
[Fotografia] Amostra de imagens

Gelo Glacial na Praia Black Sand em Jokulsarlon, Islândia

  • Câmera: FUJIFILM X-T1
  • Lente: FUJIFILM XF 10-24 mm f/4 R OIS
  • Abertura: f/8
  • Exposição: 3,7 s
  • Distância focal: 12 mm
  • Filtro: Formatt-Hitech IRND 3 stop ND
  • ISO: 200


Daniel Fox

Biografia do fotógrafo

Explorador e contador de histórias, Fox acredita no poder da natureza para restaurar o espírito humano. Ele utiliza sua narrativa para inspirar o público a PARAR, RESPIRAR, RELAXAR, ESCUTAR e reconectar com o mundo natural. Às vezes filosóficas, às vezes poéticas, suas histórias, suas fotos e sua série de vídeo "Minute of Nature" (Minuto da Natureza) procuram capturar a essência da natureza e as introspecções que ela oferece.

Ele é o fundador da W.I.L.D., uma iniciativa que levanta fundos para enviar jovens menos privilegiados para campos de imersão selvagens.

Além de ser fotógrafo da FUJIFILM X, Daniel é contribuinte da Nature Valley, Embaixador Global da Kokatat, Embaixador da Aqua Lung, Deuter, Delorme e Wilderness Systems.

Seu trabalho tem se destacado nas revistas Outside, Canoe Kayak, Adventure Kayak, Sea Kayaker, Alaska, Marin, nos jornais The Daily Post, NY Post, The Telegraph e outros.

Sua palestra inspiradora FEEL THE WILD (Sinta a Natureza Selvagem) foi dada no clube Commonwealth, lojas REI, universidades e escolas em todo o país.

Você pode encontrá-lo no Facebook, Linkedin, Twitter, Instagram, Pinterest, Google +. Ele publica seus vídeos no Vimeo e seu portfólio de fotografias está disponível no Behance.

Site: http://www.wildimageproject.com
Instagram: https://instagram.com/thewildimage
Facebook: https://www.facebook.com/thewildimage
Pinterest: https://www.pinterest.com/thewildimage
Vimeo: https://vimeo.com/channels/thewildimage, https://vimeo.com/channels/minuteofnature
Linkedin: http://www.linkedin.com/in/thewildimage
Twitter: https://twitter.com/thewildimage
Google +: https://plus.google.com/u/0/+DanielFox/posts

Depoimento do fotógrafo

Ter as melhores ferramentas nunca garante os melhores resultados, mas certamente ajuda. Eu viajo leve, sozinho, para lugares remotos e extremos, e fico fora por longos períodos de tempo - portanto tudo que tenho em minha mala deve ser leve, resistente e extremamente confiável. A XT-1 é minha nova arma escolhida. Ela é tudo que necessito e muito mais. Uso DSLR há muitos anos e sempre senti que mudar para algo mais compacto e optar pelos benefícios de câmeras sem espelho significaria perder em qualidade e capacidades. Mas aqueles dias estão passados e superados. A XT-1 é o futuro, meu futuro! Ela me dá o poder da tecnologia em uma câmera que eu não tenho preocupações em levar comigo, quer seja enquanto estou andando de caiaque no ardente Mar de Cortez, andando de mochila pelos dias úmidos e com vento da primavera da Columbia Britânica, ou andando de bicicleta no inverno frio do deserto do Alasca.

Também realmente importante, nunca me sinto fisicamente desconectado do processo de fotografia - que é algo que está acontecendo hoje por causa da tecnologia - você ganha novas vantagens enquanto perde conexão. A XT-1 é o oposto. Sua simplicidade e seus controles táteis conectam-me com minha arte, com as fotos. Eu me sinto no controle, não controlado e dependente de uma máquina.

A XT-1 é uma maravilha sem complicações, extremamente poderosa, impermeável e compacta! E é a única que carrego comigo.

Trabalhos do fotógrafo

ISO 250, 18 mm, F/5.6, 1/500, XF18-135mm F3.5-5.6R LM OIS WR, autorretrato. Ilha Espiritu Santo, Baixa California

[Fotografia] Amostra de imagens

ISO 3200, 19 mm, F/3.6, 30,0, XF18-135mm F3.5-5.6R LM OIS WR

[Fotografia] Amostra de imagens

ISO 320, 135 mm, 0,7 EV, F/5.6, 1/1000, XF18-135mm F3.5-5.6R LM OIS WR

[Fotografia] Amostra de imagens

ISO 200, 18 mm, -0,3 EV, F/8, 1/500, XF18-135mm F3.5-5.6R LM OIS WR, autorretrato

Jack Graham

Biografia do fotógrafo

Jack Graham é fotógrafo profissional com mais de 24 anos de experiência. Jack reside perto de Seattle, Washington, no coração do belo Noroeste Pacífico.

Jack conduz oficinas de fotografia na Califórnia, Wyoming, Utah, Islândia, Canadá, Arizona, Maine, no Meio-oeste e Noroeste Pacífico bem como oficinas para a Escola de Artes do Noroeste Pacífico na Ilha Whidbey, Washington. Jack também oferece oficinas de um dia, para instruções particulares abrangentes. Juntamente com seu amigo de longa data e fotógrafo Bill Fortney, Jack lançou um site dedicado às oficinas e câmeras FUJIFILM “X”. Clique AQUI para acessar.

Jack tem sido bem sucedido na publicação, vendas de impressões e também banco de fotografias. Os créditos por fotografia e escrita incluem Fotografia em ambientes externos, Revista Landscape Photography, Melhor Fotografia da Natureza, Revista Extraordinary Visions, Revista NANPAS Travel, Revista Photo Life, Expressões, Califórnia Selvagem, publicações da atualidade (NANPA) e muitas DNR, Audubon, The Luminous Landscape, The Nature Conservancy, Chicago Wilderness e Sierra Club, assim como muitos créditos de calendário. Seu trabalho corporativo inclui aplicações de banco e impressões para uso interno e também publicação.

Jack é membro do Conselho de Diretores da Associação Norte-Americana dos Fotógrafos da Natureza (NANPA) e trabalhou anteriormente como presidente no Comitê de Premiações de NANPA. Jack é também membro da Federação para as Ovelhas Selvagens Norte-Americanas (FNAWS), do comitê do Lago Mono e da Aliança da Região Selvagem do Sul de Utah (SUWA).

Você pode saber mais sobre Jack, assistir suas oficinas, comprar seus E-books e muito mais visitando seu site www.jackgrahamphoto.com ou blog www.jackgrahamsblog.com

Jack pode ser encontrado em Jack@JackGrahamPhoto.com

Depoimento do fotógrafo

Usar a câmera FUJIFILM X-T1 tem me revigorado. Sua simplicidade e capacidade para proporcionar imagens de qualidade profissional deixam-me preocupado sobre a fotografia, não seletores e menus! Eu me sinto confortável fotografando em alto ISO sabendo que qualquer ruído digital será mínimo. Ser resistente ao clima é um fator importantíssimo para mim uma vez que frequentemente estou em condições não tão boas. Embora eu não entre muito nos menus (uma vez que tudo está configurado), eles são extremamente amigáveis ao usuário. Tenho total confiança que a XT-1 e a ótima lente FUJINON proporcionarão as imagens que eu espero nas circunstâncias mais difíceis. Ser leve e menos volumosa do que as outras DSLRS é também um grande ponto positivo. Estes fatores, juntamente com o fato que a empresa realmente escuta seus clientes fazem estes produtos se destacarem dos restantes.

Trabalhos do fotógrafo

Panorama do Dead horse Point

FUJIFILM X-T1 / XF16-55mm F 2,8 R ML WR
1/4 s em F 16 /ISO 200     -1/3comp
WB: Luz do dia     Modo de Exposição AV    Modo de Fotometria:

Esta imagem é um panorama vertical de quadro 6. Em vez de uma imagem icônica eu pensei que um Panorama seria algo diferente. Esta é uma das primeiras imagens que eu fiz com a nova lente XF16-55mm F 2,8 R ML WR. Fiquei realmente impressionado (mas não surpreso) em como ela é ultra nítida.

[Fotografia] Amostra de imagens

Cavalos da Islândia

FUJIFILM X-T1 / XF18-55mmF2.8-4 R LM OIS
1/2900 s em F 4,5 /ISO 200
WB: Luz do dia     Modo de Exposição AV     Modo de Fotometria:

Os cavalos da Islândia são muito bonitos. Capturá-los em movimento era algo que eu havia tentado mais de uma vez. Suas crinas dão um fluxo que acrescenta à cena. Quis tentar e capturar as longas crinas enquanto eles estavam galopando juntos.
Tive apenas alguns segundos para obter alguns quadros (disparando na configuração CH) o tempo todo esperando que os cavalos passassem correndo por mim, o que felizmente eles fizeram. Tive que segurar a mão usando o OS para este disparo. Normalmente teria usado um tripé, mas não pude aqui.
A configuração CH juntamente com a capacidade de fotografar em ISO 2000 com pouco ou nenhum ruído juntamente com a lente Fuji (isso foi com a 18-55 f2.8-4.0 visto que a 16-55 mm 2,8 não havia sido lançada ainda quando esta imagem foi feita)

[Fotografia] Amostra de imagens

Monte do Mar da Costa do Oregon

FUJI X-T1 / XF14mm F 2,8 R
4,3 s em F 16 /ISO 300     -1/3comp

WB: Luz do dia     Modo de Exposição AV     Modo de Fotometria: Padrão

A Costa do Oregon tem muitos montes marinhos. Isto não é longe da Praia de Bandon no Sul da Costa do Oregon. Usei uma Singh-Ray Vari ND para diminuir a velocidade da água e criar a sensação que eu estava procurando.
Havia uma névoa pesada caindo, mas a X-T1 resistente ao clima teve um desempenho sem falhas. Além da nitidez da lente 2,8 R de 14 mm, eu estava bem equipado para fazer esta imagem da maneira que eu queria que ela parecesse.

[Fotografia] Amostra de imagens

Lofoten, Noruega

FUJI X-T1 / XF18-55mmF2.8-4 R LM OIS

30 s em F 22 /ISO 200     + 2/3comp
WB: Luz do dia     Modo de Exposição AV     Modo de Fotometria: Padrão

Temos apenas cerca de 4-5 horas de luz no inverno. Felizmente a luz é perfeita visto que o sol está somente a cerca de 4 graus afastado do horizonte durante janeiro. Esta é um cabana de pesca típica no fiorde em Lofoten. Usei uma exposição de 30 segundos para difundir para adicionar algum interesse às nuvens e água.
As condições nesta área podem ser difíceis. Ter uma câmera resistente ao clima realmente me fez sentir melhor.
A cabana vermelha contra o pico nevado da montanha chamou minha atenção para esta imagem.

Bill Fortney

Biografia do fotógrafo

Bill Fortney é fotógrafo, escritor, piloto e apresentador muito procurado, com mais de 45 anos de experiência em campo. Bill realizou trabalhos profissionais como fotojornalista de jornais e revistas, fotógrafo esportivo (foi fotógrafo oficial do Washington Redskins), fotógrafo médico e fotógrafo de natureza/paisagem. Os livros mais vendidos de Bill incluem; The Nature of America (com David Middleton), American Vision (com David Middleton, John Shaw e Wayne Lynch), America From 500 Feet (com Wesley Fortney), Bill Fortney’s Great Photography Workshop. America From 500 Feet II (com Mark Kettenhofen). Os livros de Bill venderam bem mais de 150.000 cópias, colocando-o na lista dos fotógrafos/autores mais vendidos na América. Bill foi nomeado membro pela Associação Norte-Americana de Fotógrafos da Natureza.

Bill atualmente leciona na KelbyOne e atua na Photoshop World como palestrante/professor. Bill leciona na His Light Workshops, uma empresa de seminários com base cristã.

Bill e sua esposa Sherelene moram em Corbin, Kentucky e têm três filhos e 6 netos.

Para saber mais sobre Bill, suas oficinas e visualizar seu trabalho, visite www.billfortney.com

Depoimento do fotógrafo

Estou celebrando meu 46º aniversário trabalhando como fotógrafo profissional nas áreas de fotojornalismo, esportes, natureza/paisagem, aproximação e fotografias de viagem. Desde que mudei para a Fujifilm com o lançamento da X-E1 eu me apaixonei pelo incrível sistema X. Sendo uma pessoa da "velha guarda", eu amo os controles ao estilo retrô do tipo das antigas SLRs de filme com as quais eu aprendi muitas décadas atrás! A qualidade da construção, ajuste e acabamento inspiram confiança. A Fujifilm sempre foi mestre na reprodução de cores com seus ótimos filmes e eles capturaram esta aparência e sensação nas câmeras da Série X. Uma das minhas coisas favoritas sobre o Sistema X é que ele possui lentes lindas e estonteantes. A Fujifilm construiu e continua a construir um sistema completo de lentes em todas as distâncias focais e tipos que um profissional precisa para realizar seu trabalho. Talvez a coisa mais importante para mim seja que o Sistema X da Fujifilm trouxe de volta o prazer e a empolgação para minha fotografia!

Enquanto eu ansiosamente espero por cada novo produto, estou extremamente feliz com meu sistema atual; um par de X-T1s, X-E2, X100T, e as seguintes lentes: 14, 16, 23, 35, 56, 60 Macro, e já fiz o pedido da 90 mm!!!

Meus zooms incluem: 10-24, 16-55, 18-55, 50-140 e os 55-200. Planejo ter também uma Fujifilm X-T10!

Trabalhos do fotógrafo

Folhas de Samambaia

FUJIFILM X-T1/60 mm Micro
0,4 s em F11 /ISO 400

Fotografei estas folhas de samambaia cobertas por chuva no início da primavera no desfiladeiro Columbia do Oregon. As luzes nubladas ajudaram na passagem das cores profundas. O mês de abril no desfiladeiro Columbia é repleto de ricos objetos verdes, cachoeiras e riachos!

[Fotografia] Amostra de imagens

Folha de Outono com Orvalho

FUJIFILM X-T1/60 mm Micro
1/17 s em F16 /ISO 400

A folhagem de outono do Maine em outubro pode ser deslumbrante! A fotografia em locais de água rasa pode ser muito divertida e gratificante quando você encontra objetos como este!

[Fotografia] Amostra de imagens

Escadas helicoidais

FUJIFILM X-T1/10-24 mm
1/8 s em F 8 /ISO 6400

No prédio da administração da Vila Shaker em Pleasant Hill, Kentucky existe uma bela escada helicoidal, formada no método tradicional Shaker. O 10-24 foi a escolha perfeita para capturá-la por inteiro!

[Fotografia] Amostra de imagens

Flutuadores Vermelhos

FUJIFILM X-T1/18-55 mm
1/11 s em F 106 ISO 320

Caminhando ao redor das docas ao longo da costa do Maine no Parque Nacional de Acadia você verá uma grande quantidade de flutuadores com armadilhas para lagosta muito coloridos. Com o 18-55 você pode compor algumas imagens realmente divertidas. A cor marcante e rica da simulação de filme Velvia é uma combinação perfeita para este tipo de objeto.

[Fotografia] Amostra de imagens

Cachoeira do Riacho das Smokies

FUJIFILM X-T1/18-135 mm
2,5 s em F22 /ISO 100

Meus lugares favoritos para fotografar os belos riachos das Smokies são: a minha casa, o Parque Nacional, as Grandes Smokies e o Braço Tremont do Rio Pequeno.

[Fotografia] Amostra de imagens

Pincéis de Pintura

FUJIFILM X-T1/55-200 mm
0,9 s em F 10 /ISO 400

No Condado de Brown, Indiana você encontrará muitos galpões antigos de trabalho e pode ter a sorte de encontrar estes pincéis velhos apoiados contra uma parede de madeira envelhecida. O Sistema X Fujifilm é maravilhoso para fotografar imagens rígidas no tema Americana e o 55-200 é muito nítido mesmo em foco próximo.

[Fotografia] Amostra de imagens

Montanha Cadillac

FUJIFILM X-T1/18-55 mm
1/6 s em F 16 ISO 1600

Existem poucos lugares mais deslumbrantes que a Montanha Cadillac no Parque Nacional de Acadia, no outono. No topo da montanha, a cor do outono é a dos arbustos cortados em close ao longo das rochas cobertas de líquens. Quando há neblina, a luz é perfeita!

Kerry Payne

Biografia do fotógrafo

Kerry Payne é uma fotógrafa australiana que mora na cidade de Nova York. Ela foi atraída pelo poder da fotografia como uma ferramenta para curar, defender e promover a mudança de questões frequentes, mas que ainda são consideradas tabu. Seu projeto atual, "As crianças (Que eu nunca tive)" é um tributo à batalha emocional sangrenta de esperança e perda, travada mês a mês, por milhões de mulheres sozinhas no mundo todo em sua busca inútil para se tornarem mães. Seu projeto de longo prazo "Os deixados para trás" mostra o luto que as pessoas enfrentam quando alguém que elas amam comete suicídio. Ela e o marido vêm documentando seu romance desde o dia em que se conheceram. "História de amor instantânea" começa com projetos emocionalmente desafiadores de Kerry que lidam com suicídio e infertilidade e que se tornaram um doce lembrete diário das belezas que a vida pode oferecer.

Kerry estudou fotografia, produção de documentários e literatura no Centro Internacional de Fotografia, na Escola de Artes Visuais e na Universidade de Nova York.

Suas fotografias foram publicadas e exibidas internacionalmente. Uma lista de publicações inclui Marie Claire (Itália e Brasil), Esquire, The Sydney Morning Herald, Revista Photo Magazine (Brasil), Popular Photography (Austrália), The Huffington Post, Burn Magazine, entre outras. O projeto "Os deixados para trás" foi exibido em outdoors em Sidney, Austrália e em uma mostra individual na Embaixada da Austrália em Washington DC. "História de amor instantânea" foi exibida no Centro de Fotografia, Woodstock no "The Space Between", expondo fotógrafos contemporâneos de smartphones. Em breve, ela fará uma exposição individual no Rio de Janeiro, unindo três grandes grupos de trabalho, apoiada pela divisão cultural da prefeitura do Rio de Janeiro. Kerry faz workshops sobre "Reportagem privada, eu como sujeito" e "Apoio, fotografia como agente da mudança" e participou de painéis de discussão sobre fotografia com a Nova Escola em NYC, Prevenção de suicídios na Austrália, a Fundação Americana de Prevenção a Suicídios e a Escola de Comunicação Pública, Universidade de Syracuse.

Seus clientes sem fins lucrativos incluem a Fundação das Nações Unidas, onde ela é membro sênior da #instacorp, e a Fundação Americana de Prevenção a Suicídios. Ela é parceira na iniciativa 1in20, fornecendo uma plataforma para pessoas que sofrem de doenças mentais e seus cuidadores, para compartilhar experiências através da arte da narrativa visual.

Kerry é entusiasta da FujiFilm e fotografa exclusivamente com câmeras da Série X da FujiFilm em seus trabalhos comerciais e pessoais.

Saiba mais em: www.kerrypayne.net

Depoimento do fotógrafo

Realmente foi amor à primeira vista quando vi uma X-T1. A câmera faz tudo o que o meu sistema SLR antigo fazia, e muito mais. Como fotógrafa de documentários e urbana, quero carregar uma câmera comigo o tempo todo, e devo passar o mais despercebida possível para não atrapalhar a cena que estou capturando. Tanto a X-T1 quanto a X100T são rápidas, silenciosas e pequenas em relação ao sistema SLR antigo que eu usava. Tenho diversas lentes da Fuji e as utilizo para diferentes tarefas, embora a 18 mm (equivalente a 28 mm) seja a minha favorita. Ela é tão pequena que cabe na minha bolsa. Não preciso mais carregar uma bolsa para a câmera, o que me ajuda a "desaparecer" ainda mais nas ruas. A qualidade da imagem é excelente. Grande parte do meu trabalho é exibido em peças de multimídia e as imagens são projetadas em grande escala, com perfeita clareza. A cor, fora da câmera, é simplesmente linda... o mais próximo de um filme que eu já consegui chegar em um sistema digital. O sistema de foco multizona torna rápido e preciso fotografar um sonho, e além da necessidade de minha câmera proporcionar imagens nítidas para o meu trabalho comercial, é possível ver em minha galeria que também sou fã do foco suave... minha abordagem pessoal para produzir imagens é demonstrar ao observador o "sentimento" de uma cena e não apenas a sua aparência. Ter todos os principais controles de função, como mostradores e botões, no corpo da câmera simplifica o controle do processo, da exposição ao foco, instantaneamente. A inclinação da tela traseira permite capturar imagens de uma perspectiva que não seria possível com outro sistema, e sem me expor muito. Uso as ferramentas para auxiliar o foco e o visor eletrônico o tempo todo, e novamente, sou capaz de fazer imagens em situações de baixa luminosidade que não eram possíveis antes sem o feixe que auxilia o foco intrusivo, que é padrão para os sistemas SLR. Estou fascinada pelas câmeras da série X. Depois de alguns meses usando essas câmeras, vendi meu kit inteiro de SLR e não me arrependi.

Trabalhos do fotógrafo

Velejando no rio Hudson na ilha de Manhattan, apenas baixamos as velas e fomos em direção ao porto. Essa imagem foi feita em um lindo dia de verão. Sabia que eu iria querer dispor de distâncias focais diferentes aquele dia, por isso levei minha lente 18-55 mm comigo. Compacta o bastante para caber na minha bolsa, mas versátil para ser usada na viagem inteira.

X-T1 18-55 mm, F4.5 1/1900 s.

[Fotografia] Amostra de imagens

O "mau" tempo produz algumas de minhas imagens favoritas, e a X-T1 à prova de intempéries fez com que eu pudesse me livrar da embalagem de plástico que eu tinha que usar com o sistema de câmera antigo. Esta foi feita na orla marítima de Sidney, em um dia de inverno úmido, porém lindo.

X-T1 14 mm, 1/13o s, f8,0

[Fotografia] Amostra de imagens

Essa é a vista do meu terraço no Brooklyn. Já fiz inúmeros retratos da linda linha do horizonte de Manhattan. Deixo uma câmera carregada com um cartão SD na janela o tempo todo para capturar momentos como este.

X-T1 122,6 mm, 1/20o s, f9,0 ISO 800

[Fotografia] Amostra de imagens

Durante um passeio em um dia chuvoso no Jardim Botânico do Brooklyn no começo da primavera, a delicadeza dessas tulipas chamou a minha atenção. Era a minha primeira saída com a X-T1 e fiquei impressionada com a qualidade da lente e a profundidade de campo. Ela lidou de forma brilhante com a condição de iluminação nublada.

X-T1, ISO 200, 1/4000o S A F2,0, lente de 18 mm

[Fotografia] Amostra de imagens

Durante a filmagem de um comercial para o bar mais antigo de Manhattan, o The Ear Inn, percebi esse momento meigo na esquina. Com pouca luz e sem flash, a X-T1 lidou de forma brilhante com a condição de iluminação.

X-T1, ISO 6400, 1/4o s a f5,0, lente de 14 mm

[Fotografia] Amostra de imagens

Tenho uma queda por romances, e meus hotéis favoritos são aqueles que colocam flores em elementos aquáticos. Essa imagem foi feita ao meio dia em um dia extremamente quente em Palm Springs, as cores vibrantes produzidas pelas câmeras da Série X da FujiFilm nunca deixam de me surpreender.

X-T1, ISO 250, 1/4o s a f2,0, lente de 14 mm

David Hobby

Biografia do fotógrafo

David Hobby fotografou mais de 10.000 editoriais como parte da equipe de fotojornalismo de 1986 a 2007. Em 2006 ele fundou o Strobist.com, e deixou o jornal pouco depois.

O Strobist é um recurso mundial de ponta para fotógrafos interessados em aprender sobre iluminação fotográfica. Milhões de fotógrafos já fizeram seus cursos on-line gratuitos. Com o Strobist, Hobby fez dezenas de workshops sobre iluminação nos EUA e no mundo todo.

Recentemente, ele passou 2014 produzindo a série de vídeos The Traveling Photographer, que foi filmada em locações em todo o mundo para o site Lynda.com.

Depoimento do fotógrafo

Passei 30 anos fazendo filmes e usando SLRs digitais de outros fabricantes antes de descobrir a Série X da Fujifilm em 2012. Há muito tempo fazendo filmes, me apaixonei imediatamente pela abordagem diferenciada à cor proporcionada pela FujiFilm. Há 80 anos de experiência na produção de filmes em cada chip X-Trans, e isso é visível.

Adoro o fato de a Fujifilm oferecer a consistência do chip X-Trans e a manipulação de cores em toda a linha de câmeras, o que permite escolher o formato mais adequado ao objeto atual.

Quando preciso usar uma SLR, a X-T1 da Fujifilm cabe no bolso, e na minha mão, perfeitamente. Sem o volume tradicional, a SLR se assemelha a muitas DSLRs atuais. A X-T1 me faz lembrar a sensação de uma câmera de filme clássica, quando meu "chip" era um rolo de Fujichrome 100.

Se estiver fotografando no estilo SLR normal ou usando a tela articulada como um localizador na altura da cintura para tirar fotos com discrição na rua, a X-T1 é uma câmera muito versátil. A abordagem à cor exclusiva da Fujifilm, e a grande quantidade de controle da paleta de cores na câmera, significa que passo mais tempo fotografando e menos tempo na pós-produção, o que é sempre muito bom.

Trabalhos do fotógrafo

Do afloramento de uma cadeia de montanhas rochosas no Golfo Pérsico, fotografei a linha do horizonte futurista de Dubai ao entardecer. Uma X-T1 e a lente compacta de 14 mm f/2,8 tem o peso e o tamanho de uma câmera de apontar e disparar, mas produz arquivos de qualidade profissional. É uma ótima combinação para viagens.

X-T1 1/1,7 s a f/5,6, ISO 400

[Fotografia] Amostra de imagens

O pátio da Grande Mesquita Sheikh Zayed em Abu Dhabi é iluminado por luzes nas torres. O que você não vê: várias pessoas que estão na minha frente. Isso porque a X-T1 da Fuji permite usar a tela articulada para fazer uma foto acima dos visitantes com os braços estendidos. E o zoom de ângulo amplo de 10-24mm f/4 tem estabilização de imagem para manter as fotos bem nítidas, mesmo em velocidades lentas do obturador.

X-T1 1/30º a f/4, ISO 800

[Fotografia] Amostra de imagens

Passei um entardecer fotografando paisagens de Paris no topo de um edifício comercial. Com a lente zoom telefoto 55-200mm f/3,5-4,8, pudemos escolher diversas composições, inclusive essa da linha do metrô de Paris. Se eu quisesse, a definição do balanço de branco da escala "Kelvin" altamente variável em minha Fuji X-T1 teria permitido neutralizar a luz quente do por do sol. Mas, nesse caso optei por outra alternativa e usei os controles internos da câmera para trabalhar com a luz quente.

X-T1 1/480º a f/8,0, ISO 400

[Fotografia] Amostra de imagens

Em Paris, todos desejam subir na Torre Eiffel para fotografar a cidade. Muito bom, a não ser que faltará algo muito importante na sua foto: o local onde você está. Por isso, optamos por fotografar a paisagem perto da Torre Montparnasse e incluímos a Torre Eiffel na foto. A estabilização de imagem na lente de zoom 55-200 f/3,5-4,8 da Fuji nos permitiu fotografar o por do sol, usando apenas um trilho como suporte.

X-T1 1/30º a f/3,6, ISO 800

[Fotografia] Amostra de imagens

Adoro a interação da luz vermelha profunda com os azuis profundos de sombra. Em poucos locais essa interação pode ser tão bem visualizada quanto na vista panorâmica da Sacre Coeur, em Paris. Monmartre é como se fosse um palco, os edifícios em forma de labirinto se aglomerando na área sombria da cidade. A lente zoom telefoto 55-200 f/3,5-4,8 da Fuji me permitiu escolher a moldura perfeitamente, e a estabilização de imagem me proporcionou imagens muito nítidas sem um tripé.

X-T1 1/125º a f/5,6, ISO 400

[Fotografia] Amostra de imagens

A vasta experiência da Fujifilm na produção de filmes está presente nas câmeras da Série X, neste caso uma X-T1. E isso não significa apenas cor. Embora a maioria das câmeras fotografe em preto e branco, para mim nenhuma outra câmera chega perto da qualidade da Fujifilm. Esta foto, de Notre Dame em Paris, está exatamente como tirei com a câmera, sem qualquer tipo de pós-processamento. Para mim, ela não parece uma foto digital. Parece uma impressão em preto e branco.

X-T1 1/4º a f/4,0, ISO 800

Valerie Jardin

Biografia do fotógrafo

A fotografia mudou minha vida para sempre. O dia em que peguei uma câmera tornei-me um contador de histórias. A fotografia é minha paixão, minha obsessão, meu vício. Eu vivo e respiro em pixels!

Minha paixão pela humanidade me leva a fotografar principalmente na rua. Tenho sucesso pesquisando e esperando apenas o momento certo quando uma história se desenrola em um quadro único. Também fotografo o extraordinário no ordinário - tudo está nos detalhes. Aprendi a ver quando eu observo, a encontrar beleza em toda parte. Embora eu ame vagar pelas ruas das grandes cidades, o mundo natural em torno de mim sempre me surpreende. Eu me sinto muito privilegiada em ver tudo através da minha lente.

Depois de trabalhar como fotógrafa comercial por 14 anos, agora estou dedicando meu tempo e energia para educar outros. Ensinar é minha oportunidade de compartilhar a minha paixão e habilidades com outros, enquanto lidero oficinas de fotografia internacionais. Também dou palestras e faço apresentações em conferências de fotografia.

Também compartilho minha paixão pela fotografia escrevendo artigos. Sou escritora para a revista DPS da Austrália e a anfitriã de meu próprio podcast semanal de fotografia, Street Focus.

Apaixonei-me com o X100S quando ele saiu e nunca mais olhou para trás. A engrenagem nunca deve ficar no caminho e esta pequena câmera tornou-se simplesmente uma extensão da minha visão.

Nascida e criada na França, atualmente moro em Minnesota, EUA.

Vivendo o sonho...

www.valeriejardinphotography.com

Depoimento do fotógrafo

Originalmente, eu comprei a Fujifilm X-T1 como uma câmera reserva, caso algo acontecesse com minha Fujifilm X100S durante as viagens ou seminários de ensino. Rapidamente me apaixonei por seu seletor ISO acessível e sua tela dobrável. Combinada com uma lente com distância focal fixa curta, ela é muito discreta nas ruas. Então a Fujifilm 16 mm f/1.4 entrou em minha vida e eu fui surpreendida por sua qualidade. Hoje, a X100T permanece minha ferramenta favorita para fotografia de rua, mas quando eu preciso de um pouco mais de flexibilidade em distâncias focais, nada bate a Fujifilm X-T1 em meu mundo!

Trabalhos do fotógrafo

  • Câmera: FUJIFILM X-T1
  • ISO: 200
  • Distância focal: 16 mm
  • Viés de Exposição: 0
  • Abertura: f/4.0
  • Velocidade do obturador: 1/105
  • Balanço de Branco: Automático
[Fotografia] Amostra de imagens
  • Câmera: FUJIFILM X-T1
  • ISO: 1600
  • Distância focal: 24 mm
  • Viés de Exposição: 0
  • Abertura: f/4.0
  • Velocidade do obturador: 1/480
  • Balanço de Branco: Automático
[Fotografia] Amostra de imagens
  • Câmera: FUJIFILM X-T1
  • ISO: 5000
  • Distância focal: 20 mm
  • Viés de Exposição: -1/3
  • Abertura: f/5.6
  • Velocidade do obturador: 1/60
  • Balanço de Branco: Automático
[Fotografia] Amostra de imagens
  • Câmera: FUJIFILM X-T1
  • ISO: 250
  • Distância focal: 16 mm
  • Viés de Exposição: 0
  • Abertura: f/5.6
  • Velocidade do obturador: 1/60
  • Balanço de Branco: Automático
[Fotografia] Amostra de imagens
  • Câmera: FUJIFILM X-T1
  • ISO: 200
  • Distância focal: 35 mm
  • Viés de Exposição: 0
  • Abertura: f/4.0
  • Velocidade do obturador: 1/60
  • Balanço de Branco: Automático
[Fotografia] Amostra de imagens
  • Câmera: FUJIFILM X-T1
  • ISO: 6400
  • Distância focal: 16 mm
  • Viés de Exposição: 0
  • Abertura: f/1,4
  • Velocidade do obturador: 1/50
  • Balanço de Branco: Automático



Powered By OneLink