A imagem encontra as TICs: O SYNAPSE fornece uma conetividade médica notável

Em 1983, a Fujifilm lançou a Radiografia Computorizada Fuji (FCR), tornando-se a primeira empresa a nível mundial a oferecer um sistema de imagem de diagnóstico de raio X digital. Os profissionais de saúde aprenderam rapidamente os méritos das imagens de diagnóstico médico, incluindo a facilidade de armazenamento e processamento. Descobriram que as imagens de vários testes e os procedimentos podiam ser partilhados dentro e entre instalações e as imagens podiam ainda ser utilizadas para consultas e diagnóstico remoto.

Ao reconhecer esta tendência, a Fujifilm viu a oportunidade de otimizar as tecnologias desenvolvidas para o FCR e contribuir para a evolução da conetividade dentro e entre instalações médicas. Inspirada, a Fujifilm desenvolveu o SYNAPSE, uma solução de TI médica que permite gerir completamente as imagens de diagnóstico médico, partilhá-las dentro e entre instalações médicas e processá-las para aplicações de diagnóstico específicas.

A decisão para lançar o desenvolvimento no estrangeiro

Em meados dos anos 90, na altura da conceção do SYNAPSE, a Europa e os EUA começaram a gerir e a partilhar imagens de diagnóstico médico via redes privadas com o PACS (Picture Archiving and Communication System). O que tornava o conceito SYNAPSE da Fujifilm diferente era o facto de este utilizar a Internet emergente e as tecnologias net em vez de redes privadas. Era, na essência, um PACS baseado na Internet.

Como a Internet torna a construção de redes fácil e conveniente, um PACS baseado na Internet reduziria significativamente as barreiras à implementação em pequenas e grandes instalações. Por conseguinte, por exemplo, um grande hospital conseguiria partilhar imagens de diagnóstico com uma pequena clínica e o diagnóstico remoto também se tornaria prático.

Simultaneamente, a digitalização de imagens médicas continuava em passo rápido, mas a Fujifilm apenas tinha o FCR para oferecer no mercado. Como empresa líder na indústria, a Fujifilm decidiu adicionar sistemas de TI inovadores à sua gama de produtos para todos os tipos de aplicações de imagem médica. Um sentimento de crise, que a empresa poderia enfrentar caso não satisfizesse estas necessidades, emergia e era uma forte motivação para tornar o SYNAPSE numa realidade.

No início do projecto de I&D do SYNAPSE, uma longa série de discussões profundas conduziu a uma conclusão radical. Uma que afetaria significativamente a direção da inovação da Fujifilm. Apesar da Fujifilm ser uma empresa japonesa, a equipa decidiu começar o desenvolvimento do SYNAPSE nos Estados Unidos.

Um dos membros da equipa na altura comenta sobre o pensamento subjacente à decisão: "Os EUA eram considerados o berço da Internet e também líderes nas áreas dos padrões de telecomunicações e dos sistemas operativos para computação. Além disso, a utilização académica e militar do PACs estava difundida e existiam muitos exemplos de conetividade médica para conhecer. A Fujifilm não era uma empresa de TI e, por isso, estabelecer uma presença de I&D importante na costa oeste dos EUA era bastante assustador para nós. Mas, para conhecer rapidamente as mais recentes tecnologias, conhecimentos e necessidades do mercado e avançar o nosso projeto de I&D, estávamos preparados para enfrentar os desafios."

Utilizar os conhecimentos em imagem para novas inovações

Os EUA não desapontaram como localização e a Fujifilm deu rapidamente por si no meio da inovação rápida desejada. Em 1998, a FUJIFILM Medical Systems, USA, Inc. (FMSU) lançou uma equipa de desenvolvimento centrada nos membros que tinham sido fundamentais para o desenvolvimento de alguns dos mais avançados sistemas PACS em utilização nessa altura. Estes especialistas foram por sua vez apoiados por engenheiros de software de várias origens. Esta equipa começou a tornar o SYNAPSE uma realidade a um passo estonteante.

Um dos engenheiros da equipa olha novamente para esses dias: "Apesar de termos entrado atrasados no mercado dos PACS, conseguimos combinar as nossas tecnologias de compressão de dados e de processamento de imagens digitais avançadas e proprietárias muito flexíveis com a tecnologia emergente da Internet e torná-las acessíveis através da plataforma Windows. Esta combinação foi uma ideia extremamente nova na altura. Além disso, otimizámos a nossa localização nos EUA para trazer rapidamente especialistas em tecnologias relacionadas para o projeto, que constituiu uma grande vantagem para novas inovações."

A abordagem ambiciosa da Fujifilm à I&D foi a força motriz por trás do sucesso do projeto. O PACS evoluiu rapidamente de sistema utilizado apenas em ambientes muito limitados para um sistema que aproveitou o poder da Internet para permitir o acesso instantâneo às imagens médicas cruciais pelo pessoal qualificado.

Estabelecer o poder da consulta necessário para uma solução de TI de classe mundial

A Fujifilm também começou a explorar novas formas para trabalhar com clientes no desenvolvimento de soluções de TI. Para simplificar a introdução do SYNAPSE numa instalação médica foi importante otimizar o fluxo de trabalho do sistema para o ambiente de cuidados médicos individual. Além disso, em cada local de trabalho médico, os profissionais de saúde solicitavam orientação sobre como aceder e utilizar cada tipo de informação disponibilizado pelo sistema. A Fujifilm reconheceu a necessidade de trabalhar com os clientes de novas formas para garantir a aceitação das inovações tecnológicas.

Por conseguinte, na preparação para o lançamento do SYNAPSE nos EUA em 2000, a FMSU constituiu uma equipa de consultadoria especializada para ajudar na análise e na apresentação de fluxos de trabalho, na conceção do sistema e no desenvolvimento, na formação dos utilizadores e noutras áreas. A FMSU recrutou talentos da consultadoria excecionais de empresas de TI locais e construiu uma forte organização.

Um membro da equipa lembra o esforço: "A Fujifilm não tinha uma função de consultadoria na área de TI. Ficamos conscientes de como esta função era importante devido à nossa experiência de I&D nos EUA, onde a conetividade médica estava extremamente avançada para a altura. A criação desta função de consultadoria foi uma inovação tão importante como o próprio produto."

A evolução do SYNAPSE continua

Cinco anos após o seu lançamento, o SYNAPSE tornou-se uma solução valiosa para mais de 1000 instalações médicas nos EUA, na Europa, no Japão e outras regiões. Ao oferecer uma notável conetividade médica baseada na partilha de informação conveniente e eficiente, o SYNAPSE tornou possível o diagnóstico inicial numa clínica local, seguido de um tratamento e testes mais completos numa instalação médica maior, por sua vez, seguida de uma monitorização periódica na clínica local original. A rápida taxa de adoção do SYNAPE foi devida, em grande parte, à sua capacidade, em situações como esta, para contribuir significativamente para a qualidade dos cuidados de saúde, incluindo o apoio para o importante objetivo do consentimento informado.

Atualmente, o SYNAPSE continua a fornecer novas vantagens em todo o mundo. Por exemplo, o sistema está a ajudar países com um número escasso de hospitais a servir corretamente a sua população ou a oferecer melhores cuidados de saúde em territórios amplos.

Quinze anos após o lançamento do SYNAPSE, muitos dos que participaram no seu desenvolvimento continuam a fazer novas inovações na Fujifilm, como construir a gama de soluções de imagem médica modernas com capacidades de pesquisa avançadas que ajudam a detetar padrões em imagens e a melhorar os diagnósticos. Um membro da equipa de desenvolvimento original que ainda está envolvido no produto comentou: "O facto de termos sempre imagens é uma grande vantagem para nós. Estou determinado a otimizar esta força e a ajudar a garantir que o SYNAPSE continue a evoluir a longo prazo."

Conteúdos relacionados:

Também poderá gostar de:


Powered By OneLink